TCE 'mela' terceirização da Saúde em Angra
BRK destaca importância do saneamento no Dia Nacional da Saúde
Número de desempregados recua 5,3% do primeiro para segundo trimestre: taxa de desemprego caiu de 13,1% para 12,4% no período
Belford Roxo entrega mais 547 apartamentos
''Índio do buraco'' é o último sobrevivente de sua etnia

Projeto está na fase inicial e atende cerca de 650 alunos

A ideia de um diretor de escola da rede municipal de ensino de Magé pode fazer toda a diferença e resgato respeito que a sociedade mantinha em relação à escola pública. Trata-se do projeto Nosso Olhar: Valorizando a cultura escolar, implantado pelo professor Carlos Henrique Patrício, responsável pela Escola Municipal Comandante Amaral Peixoto, localizada em Mauá. Segundo o professor, a proposta visa "fortalecer e consolidar valores, costumes, práticas pedagógicas e atitudes de todos os atores do processo escolar, oportunizando a efetivação de transformação da realidade apresentada, promovendo na escola, atividades que favoreçam a convivência pautada na tolerância, no diálogo e no respeito às diferenças".

PRP só fechou aliança com Patriota na disputa majoritária

 

A tão esperada aliança PROS,PRP e Patriota para deputado federal ficou apenas na conversa. O PROS que já havia pulado do barco, firmou uma coligação com o PSC, reunindo uma expectativa pelo menos 530 mil votos, o que seria suficiente para eleger ao menos quatro candidatos. Com isso sobrou ao PRP apenas o Patriota, mas a aliança na disputa proporcional não havia sido comunicada à Justiça Eleitoral, ficando a união apenas a nível de governador. Com isso o grande prejudicado é o deputado Walney Rocha (foto), que já não havia conseguido se eleger em 2014 e assumiu como suplente. Hoje a situação é complicada, pois Rocha corre o risco de conseguir um caminhão de votos e ficar de fora. Há quem defenda que ele recorra ao Judiciário contra a decisão da presidente do PRP, Eliane Cunha, pois a aliança era dada como certa.

Valor global foi reduzido pela metade, mas o Tribunal de Contas quer baixar ainda mais os preços apurados pela Prefeitura

 

Suspensa em maio deste ano devido superfaturamento de até 700% em alguns itens encontrado no processo pelo Tribunal de Contas do Estado, a licitação aberta pela Prefeitura de Arraial do Cabo para compra de medicamentos permanecerá adiada. A decisão foi tomada ontem (14) pela Corte, embora o valor global estimado em R$ 14,2 milhões tivesse sido reduzido em 50,57% depois que o prefeito Renato Martins Viana (foto) levou um puxão de orelhas do TCE. A suspensão está mantida porque o tribunal voltou a encontrar erros no edital, analisado pela quarta vez.

O candidato a governador pelo PSD fará caminhada pela manha em Queimados

 

O candidato ao governo do estado do Rio de Janeiro pelo PSD, Indio da Costa, inicia oficialmente sua campanha nesta quinta-feira (16) pela Baixada Fluminense, com uma caminhada em Queimados, terra de seu candidato a vice-governador, o delegado e deputado estadual Zaqueu Teixeira, do mesmo partido. A segurança pública será o foco máximo da campanha de Indio, que vem ouvindo e conversando com membros das polícias Civil e Militar. "A vida perdeu o valor no estado porque não existe governo. Temos visto pessoas morrendo porque os bandidos se sentem livres para agir, assaltar e matar inclusive os policiais que lutam, mas não têm as devidas condições para proteger a população. Temos visto gente atingida por bala perdida quando internada em hospital ou quando está levando seus filhos e netos para a escola. Crianças se abaixando nas escolas para fugir de tiroteio. Em todo lugar, a ousadia do crime cresceu, mas eu afirmo que tem solução. E é por meio do investimento nas polícias, com força na investigação e oferecendo os equipamentos e treinamentos adequados a todos os policiais", diz.

Número de veículos é definido é de acordo com o tamanho de cada cidade e os carros de som ficam permitidos mesmo na ausência do candidato

Um acordo costurado pelos advogados André Marques, Afonso Destri, Eduardo Damian, Luiz Paulo Viveiro de Castro e Marcio Alvim com o desembargador Carlos Eduardo Fonseca Passos (foto), presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, define o que pode e o que não ser feito pelos partidos e candidatos nas eleições deste ano e representa uma vitória para as legendas. O acordo – que considera as situações distintas entre os 92 municípios fluminenses – atende aos pleitos dos advogados representantes dos partidos e sua celebração, segundo André Marques, que falou pelo PC do B, externa "a sensibilidade e fidalguia" do presidente do TRE, diante dos pedidos dos advogados, candidatos e partidos em questões sensíveis como as "dobradas", carreatas, propaganda em veículos e nos comitês centrais, especialmente nas cidades da Baixada e no interior.