Empresas abertas depois da eleição faturam em Japeri
Prefeito de Itaboraí não leva o Tribunal de Contas a sério
Prefeito de Itaboraí não leva o Tribunal de Contas a sério
Imposto do jogo pode ajudar no combate à violência
Guapimirim vai ficar mais dois meses sem cobrar IPTU

"Numa ditadura não daria para fazer uma passeata pela democracia. Na democracia, você pode fazer uma passeata pedindo a ditadura". A colocação simples e direta do filósofo e escritor paranaense Mário Sergio Cortella diz mais do que muitos de nós conseguimos entender e seria ótimo se os aprendizes de ditadores que povoam as Forças Armadas, o Ministério Público e o Poder Judiciário parassem um pouquinho para refletir sobre o assunto. Recentemente um militar de 'bigode grosso', no alto de sua ignorância sobre Legalidade e Constitucionalidade, saiu-se com essa: "Intervenção militar constitucional!" Perdeu uma grande oportunidade de ficar calado. Isso não existe na Carta Magna. Quem sobreviveu o longo e tenebroso período da ditadura sabe quão nefastos sãos os militares quando no comando de uma nação. Não estou falando em relação à censura, à proibição da livre manifestação, à tortura. A coisa é muito maior. Falo de inflação de 80% ao mês, de desabastecimento, de estradas que começam não sei onde e chegam a lugar nenhum. Falo também de corrupção, mesmo sabendo que vai aparecer um monte alegando que no tempo dos militares não havia escândalo e que ninguém ouvia falar ou lia uma linha sequer sobre roubalheira. Claro que não. Era proibido noticiar...

São 120 mil refeições por dia na rede municipal de ensino

O momento da merenda escolar, para o secretário de Educação de Belford Roxo, Denis de Souza Macedo, é mais que o de alimentar os alunos, representa, entende, um símbolo social, "é a hora de distribuir carinho". Com essas palavras foi aberto o curso anual de capacitação dos profissionais de alimentação, promovido pelo setor de Nutrição Escolar. Reunidas no auditório do Ciep Constantino Reis, as merendeiras receberam, durante uma hora e meia, as orientações necessárias para estarem atualizadas. Para as escolas não ficarem sem o trabalho das profissionais, apenas 200 das cerca de 500 merendeiras participaram e agora vão funcionar como multiplicadoras do que aprenderam. "Os alunos são nosso bem precioso. Temos que cuidar bem deles, pois estamos alimentando o nosso futuro", destaca a diretora de Alimentação, Míriam de Freitas Pereira.

Auditores vão verificar acumulação de remunerações e pagamentos a falecidos

Os gastos com pessoal consomem a maior parte dos recursos dos municípios e nem sempre os salários e proventos pagos a inativos são realmente devidos. Partindo deste princípio o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro decidiu fazer – através da Coordenadoria de Auditoria de Pessoal Municipal – o acompanhamento das folhas de pagamentos das 91 prefeituras e câmaras de vereadores sob sua jurisdição. O objetivo é verificar a legalidade dos pagamento efetuados, especificamente a acumulação de salários e proventos, além de eventuais remunerações a servidores já falecidos.  Nos próximos dias a Corte de Contas vai começar enviar aos prefeitos e presidentes de câmaras ofícios comunicando o início da referida e as listas com a descrição dos arquivos que devem ser encaminhados para serem auditados pelos técnicos do TCE.

Portador de vários títulos, medalhas e comendas, o iguaçuano Carlos Alberto Araujo Drummond (foto), desembargador aposentado da Justiça do Trabalho, vai receber a Medalha de Mérito Comendador Soares, a maior honraria do município de Nova Iguaçu. A entrega será feita às 19h da próxima quinta-feira (23), em sessão dirigida pelo presidente da Casa, Rogério Teixeira Junior, Juninho do Pneu. A homenagem foi proposta pelo vereador Maurício Moraes, através de decreto legislativo aprovado por unanimidade. A medalha foi instituída em 2000, com a finalidade de honrar personalidades iguaçuanas ou não, visitantes ilustres, autoridades, empresários e pessoas que se destacado nas artes, nas ciências, no esporte, na cultura em geral e no desenvolvimento da cidade de Nova Iguaçu. Carlos Alberto foi oficial da Polícia Militar, iniciou seus estudos no Colégio Leopoldo, em 1955. Formou-se em Direito em 1973 e deixou a PM em 1979, para ingressar na Justiça do Trabalho como juiz substituto, tendo atuado em várias varas nos estado do Espírito Santo e Rio de Janeiro. Só na 2ª Vara de Nova Iguaçu ele trabalhou por seis anos. Tornou-se desembargador e foi vice-presidente do TRT1º entre 2011 e 2013 e presidente de 2013 a 2015.

Luiz Martins, Marcelo Simão e Renato Cozzolino estão entre as vozes que sairam em defesa dos acusados de corrupção

De uma bancada de 16, 14 foram contra as ordens de prisão

Dos 16 representantes dos municípios da Baixada Fluminense na Assembleia Legislativa 15 votaram pela liberdade dos deputados Edson Albertassi, Jorge Picciani e Paulo Melo, presos desde ontem por decisão unânime dos integrantes do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Os três foram denunciados pelo Ministério Público Federal por organização criminosa e lavagem de dinheiro, acusados de serem os cabeças de um esquema de corrupção sustentando pela caixinha da propina mantida pelas empresas de ônibus.  Os três deixaram a unidade prisional de Benfica no início da noite desta sexta-feira, mas o dia de hoje não foi só de vitória para eles: desembargador federal Abel Gomes determinou o bloqueio cautelar de contas e o arresto de bens de 13 pessoas e 33 empresas investigadas na Operação Cadeia Velha, sendo R$270 milhões em nome dos parlamentares, R$154.460.000,00 de Picciani, R$108.610.000,00 de Paulo Melo e R$7.680,000,00 e, nome de Albertassi.