Melhor visualizado em:

Safari Firefox Chrome

TRE fecha mais três centros sociais em Caxias

Vereadora tem duas unidades. Uma delas é mais bem equipada que muitos hospitais. As instituições funcionavam para captação ilegal de votos. Donos agora serão processados e poderão perder mandatos se eleitos forem

Os fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) levaram um susto na manhã de ontem ao chegarem no bairro Bom Retiro, em Duque de Caxias. Lá depararam com uma mega estrutura de captação ilegal de votos montada pela vereadora Maria de Fátima Pereira de Oliveira, a Fatinha, candidata a deputada estadual pelo partido Solidariedade. Ela tem dois centros sociais no bairro e em um deles, o CÁS-FÁTIMA, os agentes foram surpreendidos com o alto nível de tecnologia dos equipamentos utilizados nas salas do local, que oferecia serviços de Fisioterapia, Odontologia, Clínica Geral, Pediatria, Ginecologia, Cursos de Informática e encaminhamento para exames em órgãos públicos. Foram apreendidos aparelhos de ultrassom, dezenas de pastas com documentação de atendimento, muitas delas contendo número de título de eleitor, zona e seção, computador, medicamentos, boa parte deles com a validade vencida.

 

TRE cassa vereador de Belford Roxo

     Em sessão encerrada agora à noite o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro confirmou, em decisão colegiada, a sentença do juízo de primeira instância que cassou o mandato do vereador João Carlos Julião, (PSB), por compra de votos nas eleições de 2012. De acordo com o desembargador federal Abel Fernandes, relator do processo, o Centro Social J. Julião, instalado na localidade de Vale das Mangueiras, e a Associação Beneficente Elídia Julião, em Parque Amorim, funcionavam como "extensão do gabinete do vereador", oferecendo "serviços gratuitos a eleitores em período eleitoral, com a evidente intenção de angariar votos".

Comentário (0) Hits: 167

MPF vai investigar compra de remédios com verba federal em Valença

TCU constatou que notas fiscais de entrega em quantidades menores que as compradas foram atestadas por ex-secretário e ex-chefe do almoxarifado

O Ministério Público Federal (MPF), a partir de relatório de tomada de contas especial feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na Secretaria de Saúde de Valença, município do interior do estado do Rio de Janeiro, referente aos exercícios de 2001 e 2012, vai investigar os processos de aquisição de medicamentos e materiais de consumo feitas com recursos repassados à Prefeitura pelo governo federal através da Fundação Nacional de Saúde (FNS). Segundo o elizeupires.com noticiou no último dia 15, o TCU encontrou irregularidades na aplicação de recursos de pelo menos três emendas parlamentares, um total de R$ 1 .086 milhão, o que aconteceu  quando Thiago José Gomes Faria - que também foi diretor do Fundo Municipal de Saúde - era o secretário de Saúde.

Compra de votos começa inflacionada na Baixada

Em Magé o preço varia entre cestas básicas, bombas d'água e promessa de R$ 100 no dia da eleição. Em Japeri aceita-se um par de dentaduras, mas uma laqueadura de trompas - mesma moeda usada nos bairros carentes de Belford Roxo e Queimados - pode servir também para fechar o negócio

Twitter Facebook