Rio das Ostras implanta o Orçamento Participativo Jovem
Empresa do ''apagão'' fatura em Friburgo sem licitação
18.5 seria a senha para a omissão em Nova Iguaçu
Casimiro de Abreu gasta cerca de R$ 1,3 milhão com servidores de fora
Compra de votos pode ter feito a diferença em Aperibé

Prefeito tira verba de hospital para "cultura"

Ao que tudo indica o setor de saúde – que deverá ser entregue à gestão de uma nova organização social – deixou de ser importante em Casimiro de Abreu, principalmente o Hospital Municipal Ângela Simões, onde têm faltado remédios e profissionais para fazerem o atendimento. Pelo menos é o que sugere um ato do prefeito Paulo Dames (foto), que acabou de abrir um crédito suplementar no valor de R$ 1,035 milhão para suprir despesas da Fundação Cultural do município, tirando este valor de verba que havia sido destinada no orçamento para o exercício desde ano ao hospital, que vive, segundo algumas lideranças locais, a maior crise de sua história.

O estudante Marcus Vinícius Coutinho aprovou OP Online Jovem e já incentiva colegas a a participarem

Estudantes votam em prioridades de investimentos para o município

Em Rio das Ostras, município da Região dos Lagos, os estudantes da rede municipal de ensino estão exercendo a cidadania de forma direta e objetiva. Eles agora podem elencar prioridades em investimentos para município, através do Programa de Orçamento Participativo Jovem, lançado para os alunos dos 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e Ensino Médio. A versão online do OP Jovem está no ar no site da Prefeitura, uma ferramenta que tem como objetivo buscar uma gestão participativa e democrática, oferecendo a jovens e crianças oportunidade e voz em decisões junto à administração pública. Através do link, os alunos preenchem seus dados e por meio da votação, ajudam a decidir as prioridades de investimentos em obras e serviços a serem realizados no município com recursos públicos.

Em respeito aos leitores que nos acessam em Guapimirim e que nos enviaram mensagens questionando-nos sobre um suposto vínculo entre o elizeupires.com e o site denominado Jornal Conexão Verdade e com veículo impresso do mesmo nome, esclarecemos que essa ligação não existe e nem temos conhecimento de que tal menção tivesse ocorrido. Informamos, entretanto, que o que constatamos é a reprodução de matérias veiculadas por nós nos dias 5, 6 e 7 de junho deste ano, todas com o texto replicado integralmente, sendo que duas delas tiveram os títulos alterados. Reiteramos que não vimos nenhum problema no aproveitamento de nossos textos por outros veículos, desde que a fonte original seja citada e a essência da informação mantida.

 

Matérias replicadas:

Empresa investigada faturou mais de R$ 20 milhões em Caxias

Ex-prefeito de Três Rios está preso em Brasília

Baixada ganha este mês um Hospital de Traumato-Ortopedia

Prime teve contrato sem licitação renovado através da Secretaria de Saúde

Conforme o elizeupires.com já havia antecipado, a Prefeitura de Nova Iguaçu vai mesmo renovar alguns dos contratos emergências firmados - sem licitação - para terceirização de mão de obra, embora tivesse tempo de sobra para promover as devidas licitações. A primeira renovação já foi autorizada e apesar de ter sido advertida várias vezes pela Secretaria de Educação por atrasar salários e o pagamento de benefícios, a Prime Administração e Serviços, vai continuar atuando nas unidades de saúde por mais 180 dias, recebendo, no período, cerca de R$ 4,3 milhões pelo serviço de limpeza e higienização. A homologação da dispensa de licitação por situação emergencial foi publicada no diário oficial deste sábado e o extrato do contrato deverá ser divulgado nos próximos dias.

 Visto como fiel escudeiro do prefeito, o presidente Rafael Jardim acatou o parecer e mandou arquivar o requerimento

Presidente acatou alegação esquisita da assessoria jurídica da Casa

Das duas uma: os vereadores de oposição não conhecem do ofício ou o procurador da Câmara deu uma derrapada ao despachar pela não formação de uma comissão de investigação requerida para apurar as péssimas condições dos serviços no hospital municipal de Casimiro de Abreu. Em um parecer considerado no mínimo "esquisito" por alguns frequentadores das sessões legislativas, o procurador Marcus Henrique Garcia destacou que "a apuração pretendida deveria ser dirigida a Comissão Permanente de Educação, Saúde, Assistência e Meio Ambiente" e para arrematar apontou um erro material no requerimento dos vereadores Adriano Lima e Ramon Gidalte, que em vez de Comissão Especial de Inquérito os oposicionistas propuseram a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, o que independente do nome teria, quando levadas a eleito, tem a mesma finalidade.