Imprimir
Categoria: Política

Prefeito de Santo Antonio de Pádua é visto como a maior liderança do Norte e Noroeste

Quem acompanha os fatos no interior do estado do Rio de Janeiro afirma que a eleição do próximo governador vai passar por Santo Antonio de Pádua, uma cidade com cerca de 42 mil habitantes e 33.143 eleitores (dados de maio deste ano), não pela quantidade de votos, mas pelo cacife político de um homem, o prefeito Josias Quintal (foto), que se transformou na maior liderança no Norte e Noroeste Fluminense. Secretário de Segurança no governo de Anthony Garotinho, Quintal entrou para a história como a autoridade que prendeu vários chefões do crime, entre eles os traficantes Fernandinho Beiramar e Elias Maluco. Josias conquistou o primeiro mandato de prefeito em 2012, destronando a família Padilha, que chegou a comandar Pádua e o município de Aperibé.

Além de secretário de Segurança, cargo no qual geriu um orçamento de R$ 2 bilhões e deixou a função sem ser citado em um escândalo sequer, Josias passou por Brasília antes de retornar a sua cidade de origem com pretensões de um mandato no Poder Executivo e, quando o fez, acabou por tirar do poder a família que por quase três décadas dominou a política em Santo Antonio de Pádua.

Visto como fiel da balança política nas duas regiões, Quintal é filiado ao PSB desde 2002, quando foi eleito deputado federal com 118.455 votos. Ele atua no sentido de fortalecer a legenda ainda mais no interior fluminense e poderá vir a lançar o filho João Oliveira candidato a deputado federal ou a uma vaga na Assembleia Legislativa, o que deverá ser definido até junho de 2018.

Além das ações efetivas em todas as áreas, a gestão de Josias Quintal à frente tirou as contas do município do escuro e um dos grandes destaques é a posição alcançada pela Prefeitura no ranking do controle interno elaborado pelo Ministério Público. Já na primeiro mandato de Josias o município passou a ocupar a 8ª colocação e este ano subiu para o 5º lugar.