Falta de transparência vira caso de polícia em Mesquita
Macaé esconde contrato emergencial de R$ 34,9 milhões
Resende municipaliza UPA, mas não fiscaliza frequência ao trabalho
Berço da história de Belford Roxo vai ser revitalizado
Arrecadação de Macaé dispara e a falta de material também

Área de 3,5 mil hectares vai contar com Polícia Ambiental

Os moradores da Baixada Fluminense e da Zona Oeste do Rio vão poder contar, em breve, com mais um parque natural. É o Parque Estadual do Mendanha, que contará com uma Unidade de Polícia Ambiental (Upam), centro de visitantes e alojamento de guardas-parques e de pesquisadores. Nos próximos dias serão realizadas duas audiências públicas – Nova Iguaçu e Grande e Nova Iguaçu – para que o projeto possa ser apresentado à população e receber sugestões. “As pessoas poderão participar, e muitas vezes as sugestões são incorporadas. É um momento de participação, onde estarão presentes pesquisadores e ambientalistas. Depois da audiência, o decreto pode sair em aproximadamente um mês”, explica o secretário do Ambiente, Carlos Minc.

Segundo Minc, a unidade estadual será criada na região mais preservada da Área de Proteção Ambiental (APA) Gericinó-Mendanha, que é considerada mais rica, do ponto de vista da biodiversidade, do que a Floresta da Tijuca e o Maciço da Pedra Branca. “Vamos proteger cada vez mais a biodiversidade e também assegurar segurança e lazer à população de parte da Baixada e da Zona Oeste. Teremos uma área super valiosa, totalmente preservada”, concluiu o secretário, destacando que a depois da assinatura do decreto que estabelecerá a criação do parque, o projeto será encaminhado à Câmara de Compensação Ambiental, órgão colegiado ao qual cabe definir a aplicação dos recursos oriundos de compensação ambiental.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar