Macaé: redução de preço determinada pelo Tribunal de Contas na licitação da coleta de lixo durou apenas um ano
Depois do centro de Nova Iguaçu, bases do 'Segurança Presente' serão implantadas em Austin e Miguel Couto
Tem feira no point em Magé
Queimados diz que maternidade está pronta, que só faltam os equipamentos para inaugurá-la, mas ainda não pagou pelo prédio
Prefeitura de Japeri esconde contratos da merenda: cinco fornecedores foram escolhidos por mais de R$ 17 milhões
Queimados via Volta Redonda: contrato de gestão de hospital na Cidade do Aço teria se transformado em bom ''negócio de família''

Secretários expulsos de Porto Real trabalham nas sombras

Numa ofensiva para conseguir reaver o controle da administração do município de Itatiaia, onde estivera no poder durante oito anos, o grupo comandado pelo ex-secretário de Administração e Fazenda de Porto Real, Célio Gammaro, estaria agindo nos subterrâneos, fomentando, inclusive, ações que deveriam ser legítimas, não fosse o jogo sujo, na Câmara de Vereadores. De acordo com informações reveladas ontem ao elizeupires.com, o grupo teria aberto várias frentes a fim de reassumir a Prefeitura, tentando cassar o prefeito Luis Carlos Ypê, para conduzir ao cargo o ex-prefeito Almir Dumay, segundo colocado na eleição do ano passado.

As ações junto à Câmara de Vereadores fariam parte de um Plano B, montado depois que o desembargador  Marcus Steele concedeu uma liminar suspendendo os efeitos da sentença de primeira instância, que cassou Ypê e seu vice, Edmar Barbosa. A liminar teria frustrado as intenções do grupo, que apostara alto na posse imediata de Almir Dumay e como isso não ocorreu teriam tratado de por em ação o Plano B. Foi aí que a vereadora Andrea Jardim (PR), a Andrea do Dilino, argumentado irregularidades encontradas em unidades de saúde da cidade, entrou com um requerimento na Câmara visando à instauração de uma Comissão Especial de Inquérito para apurar os repasses à saúde de Itatiaia.

O fato de Andrea será aliada de Dumay leva as lideranças locais a crerem que a ação dela representaria a investida do grupo, que têm entre seus membros pessoas denunciadas pelo Ministério Público por fraudes em licitações na Prefeitura de Itatiaia, durante a gestão de Almir. Essas pessoas, inclusive, chegaram a ter os bens bloqueados pela Justiça.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar