Macaé: redução de preço determinada pelo Tribunal de Contas na licitação da coleta de lixo durou apenas um ano
Depois do centro de Nova Iguaçu, bases do 'Segurança Presente' serão implantadas em Austin e Miguel Couto
Tem feira no point em Magé
Queimados diz que maternidade está pronta, que só faltam os equipamentos para inaugurá-la, mas ainda não pagou pelo prédio
Prefeitura de Japeri esconde contratos da merenda: cinco fornecedores foram escolhidos por mais de R$ 17 milhões
Queimados via Volta Redonda: contrato de gestão de hospital na Cidade do Aço teria se transformado em bom ''negócio de família''

Processo está na procuradoria que não responde recurso

Denunciado pelo elizeupires.com no último dia 6, o processo licitatório aberto pela Prefeitura de Itaboraí para locação de caminhões e máquinas pesadas, está, desde o início da semana, na Procuradoria Geral do Município, para onde fora encaminhado pela Comissão Permanente de Licitação, que depende de um parecer jurídico para validar ou não o certame. Essa concorrência, na modalidade pregão presencial, que foi colocada sob suspeita por conta da desclassificação de uma empresa concorrente, que apresentou proposta com uma diferença, a menor, de R$ 1 milhão, em relação à empresa declarada vencedora do pregão presencial.

Embora tenha tomado conhecimento do fato o prefeito Helil Cardoso vem mantendo silêncio sobre o assunto. Entretanto, informações passadas ontem à noite por uma fonte ligada ao governo, dão conta de que a licitação será mesmo homologada em favor da empresa Engepark, que cobrou R$ 4,9 milhões, o valor global especificado no edital para o objeto da licitação, contra a proposta de R$ 3,9 milhões apresentada pela empresa Heringer, que presta esse serviço em vários municípios fluminenses e conta com frota própria, o que reduz bastante os custos da locação.

De acordo com a fonte, o recurso impetrado pela empresa que ofereceu a melhor proposta não havia sido julgado até o final da tarde de ontem e, ao ser analisado, deverá ser rejeitado, para que o prefeito possa homologar o processo e confirmar a vitória da empresa que cobrou mais caro. Segundo a fonte, os processos licitatórios no município de Itaboraí nessa nova gestão estão sendo tocados da mesma forma observada durante a administração do prefeito Sergio Soares. “Não há transparência alguma. Os editais não são vistos por quase ninguém. Os atos oficiais que tratam de concorrência e contratos são como pernas de cobras, ninguém vê”, afirmou.

 

Matérias relacionadas:

Licitação sob suspeita em Itaboraí

Prefeito se cala sobre licitação suspeita 

 

Comentários  

0 #1 Sadi 27-07-2013 07:45
O Helil vai homologar essa licitação e ninguém vai fazer nada. O jogo de interesse é muito grande e para esse tipo de gente o dinheiro público não tem dono.
Citar
0 #2 erivelton do nascimento de sousa 27-07-2013 14:56
É LAMENTÁVEL, MAS ATÉ O CONCURSO PARA GUARDA MUNICIPAL MÚSICO ELE INSISTE EM NÃO CONVOCAR OS APROVADOS ,E PERMANECE COM OS COMISSIONADOS .
Citar
0 #3 angella 28-07-2013 13:36
É uma vergonha. O próprio concurso ele fez o que quis e agora continua.....................
è preciso que algo seja feito para acabar com esses desmandos no município......
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar