Prime recebe quase três mais do que paga aos contratados e ainda atrasa salário

A Secretaria de Educação advertiu, pela terceira vez, a empresa Prime Administração e Serviços por atrasar o salário do pessoal encarregado do serviço de portaria das unidades da rede municipal de ensino de Nova Iguaçu. De acordo com os funcionários, os atrasos ocorrem desde maio e a Prefeitura sempre soube disso, mas o problema não foi suficiente para impedir a renovação, por mais seis meses, de um contrato firmado sem licitação no dia 16 de fevereiro. O prolongamento da "emergência" alegada para contratar a Prime sem o devido processo licitatório aconteceu depois que o Tribunal de Contas do Estado apontou irregularidades no edital de licitação e suspendeu o certame. A renovação aconteceu no dia 14 de agosto e dias antes a secretária Rojane Calife (foto) havia assinado a segunda advertência pelo mesmo motivo. 

A empresa ainda tem contrato com a Secretaria Municipal de Saúde e atrasos também ocorrem em relação ao pessoal contratado para prestar serviços na rede de atendimento médico, mas o titular da pasta, Hildoberto Carneiro de Oliveira, não teria emitido nenhuma notificação para a Prime em relação a isto até agora. O contrato da terceirizada com a Secretaria de Educação é para a manutenção de 420 porteiros nas escolas e por cada um deles o município paga R$ 3.344,23 por mês, mas o salário é de R$ 1.168,70.

No ato publicado na última terça-feira (31), com data de 30 de outubro, a secretária cita "a flagrante infração contratual quanto ao não pagamento dos empregados" e lembra que a empresa já fora advertida "por duas vezes pelos mesmos motivos" e concedeu prazo de cinco dias úteis para a Prime apresentar os comprovantes dos pagamentos de salário efetuados ou apresentar a defesa prévia.

Segundo informações da administração municipal não há faturas da Prime atrasadas, não havendo motivos para a empresa deixar de honrar os compromissos com os trabalhadores, que ouvem como desculpa ao reclamarem do atraso dos salários, a alegação de que o escritório de Nova Iguaçu depende do escritório sede, que fica no município de Paraíba do Sul, para resolver o problema. Considerando as renovações, os contratos da empresa com a Prefeitura de Nova Iguaçu somam R$ 24.665.039,82.

 

Arquivos relacionados:

Mesmo recebendo em dia terceirizada atrasa salário em N. Iguaçu

Mão de obra terceirizada custa caro em Nova Iguaçu

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar