Em situação de emergência, o município precisa de ajuda urgente

De acordo com a Defesa Civil municipal, 21.440 pessoas foram atingidas pelos estragos causados pelas chuvas que desabaram sobre São João de Meriti desde o dia 29 de dezembro, danos que levaram o prefeito João Ferreira Neto, Dr. João, a decretar situação de emergência. Nesta terça-feira ele vai se reunir com o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho para acelerar o reconhecimento do decreto. O prefeito montou um gabinete de crie e no dia 11 enviou ao governo federal um documento com informações sobre as áreas mais atingidas, os danos causados à população e o pedido de recursos emergenciais para recuperar os locais devastados pelas tempestades. Os bairros mais afetados foram Venda Velha, Grande Rio e Parque Juriti. Ao todo foram realizados mais de 100 ocorrências pela Defesa Civil e 3.179 atendimentos médicos.

A Prefeitura está recebendo apoio do Ministério Público, manifestado presença da procuradora de Justiça, Denise Tarin, que atua como coordenadora do Projeto Morte Zero - Prevenção de Desastres, que se reuniu com o prefeito para oferecer ajuda. Segundo ela, as inundações em diversas localidades do município  trazem repercussões na saúde da coletividade. "Causam preocupação as doenças de veiculação hídrica, sobretudo a hepatite, que tem registrado um considerável aumento de casos no Rio", alertou a procuradora,  teve a ideia de criar uma campanha de mobilização para conseguir pelo menos cinco mil filtros para a população.

De acordo com a subsecretária de Saúde de Meriti, Malu Santos, presente à reunião, o uso de filtros de água poderia diminuir o risco de algumas dessas doenças. "Há um grande número de famílias no município sem acesso à água filtrada. Mesmo nas casas que não sofreram uma gravidade maior, essas águas podem ser prejudiciais de uma maneira muito preocupante", advertiu a secretária.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar