Contratada sem licitação, recuperação de viaduto está orçada em R$ 7,3 milhões 

O já tão complicado trânsito no centro de Nova Iguaçu ficou ainda pior com a interdição do Viaduto Padre João Musch para a realização de uma obra que, segundo a Prefeitura, estará concluída em agosto, previsão aparentemente difícil de se concretizar, tal o ritmo lento dos trabalhos. Para fazer o serviço a empresa Procec Projetos e Construções foi contratada sem licitação, pelo valor global de R$ 7.374.700,43, uma das muitas contratações emergenciais autorizadas pelo prefeito Rogério Lisboa, que já comprometeu mais de R$ 120 milhões sem licitação.

O contrato emergencial tem validade de 180 dias e foi homologado no dia 28 de março, mais de um mês após o início das obras. No 25 de abril a Procec recebeu o primeiro pagamento. Foi pago a ela o total de R$ 1.027.221,43, valor cobrado através da nota fiscal eletrônica nº 277.

Construído pelo Departamento Estadual de Estrada de Rodagem (DER) do antigo estado do Rio, o Viaduto Padre João Musch  foi inaugurado em 1968 e desde então nunca passou por reforma e nem intervenções de manutenção.

Desde março do ano passado que a Prefeitura vem sendo alertada para a existência de rachaduras na estrutura da construção, mas o prefeito deixou passar mais de um ano para tomar providência, tempo mais que suficiente para abrir um processo licitatório e realizar a obra, que agora mais um objeto emergências alegadas pelo prefeito. 

Em contato há pouco, o prefeito Rogério Lisboa afirmou que o andamento da obra está de acordo do cronograma e ela vai ser entregue dentro do prazo, que é de seis meses.

 

* Matéria atualizada às 10:05 para acréscimo de informação.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar