Linhas do transporte alternativo passam a ser circulares e medida desagrada os operadores do serviço

 

Quem passou de carro ontem pelo centro de Nova Iguaçu se sentiu aliviado. O trânsito caótico estava uma maravilha. É que as vans do transporte alternativo não circularam durante todo o dia e o mesmo deve acontecer nessa terça-feira, pois os operadores do serviço resolveram estender para hoje o protesto contra uma medida da Prefeitura que – para reordenar o trânsito e garantir maior fluidez no tráfego – decidiu transformar as linhas de vans em circulares, proibindo o embarque e o desembarque de passageiros nas vias centrais, estabelecendo locais certos para os usuários descerem. Na parte da manhã dezenas de motoristas protestaram em frente a sede do governo e, no início da noite, seguiram para a Rua Dr. Mario Guimarães, para uma manifestação em frente ao prédio onde o prefeito Rogério Lisboa reside.

O reordenamento foi definido em duas portarias assinadas pela secretaria de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana, Zenildo Coelho Barroso, que começaram a valer ontem. Com a medida, os veículos que operam nos bairros cortados pela Avenida Abílio Augusto Távora (Estrada de Madureira) são obrigados a retornar da Rua Dr. Thibau,  na  esquina a Avenida Bernardino de Mello. Já as vans que tem itinerários a partir do lado oposto a Bernardino de Mello,  terão de fazer o desembarque na Rua Dom Valmor, voltando dali mesmo aos bairros de origem.

Para os trabalhadores do transporte alternativo de passageiros a decisão tomada pela Prefeitura beneficia diretamente as empresas de ônibus.  Em nota a Prefeitura informou "que as cooperativas de transporte alternativo estão autorizadas a circular normalmente pela cidade, obedecendo apenas a uma pequena reorganização de trajetos e pontos finais no centro do município" e que "as alterações foram necessárias para mitigar os efeitos do fluxo intenso de veículos na região que causavam enormes congestionamentos prejudicando a todos". O governo diz ainda que "a atual gestão respeita o trabalho dos profissionais do transporte alternativo e  que realizou  os ajustes pontuais para promover melhorias na mobilidade urbana e conciliar os interesses de toda a população".

À noite, em contato com o elizeupires.com, o prefeito Rogério Lisboa explicou que em nenhum momento sua gestão se colocou contra o transporte de passageiros. "Da forma como estão protestando a impressão que eles (os operadores do serviço complementar) estão passando é a de que eu proibi as vans. Isso não é verdade. As vans continuarão circulando livremente. Apenas estamos mudando os pontos para reduzir os engarrafamentos no centro da cidade", afirmou.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar