"A Prefeitura vai recorrer". Foi com essas poucas palavras que o prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa (foto) se pronunciou hoje sobre a decisão liminar da Justiça que determinou, ontem (5), a suspensão dos efeitos de duas portarias assinadas pelo secretário de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana, Zenildo Coelho Barroso – que já foi dono de empresa de ônibus com concessão de várias linhas municipais – impedindo o tráfego das vans do transporte complementar pelo centro da cidade. A resposta lacônica, dada via WhatsApp ao elizeupires.com, sugere que Lisboa não esperava uma decisão judicial favorável aos trabalhadores do transporte alternativo nem estava preparado para receber a notícia. Em seu despacho no processo ajuizado pela  advogada Alderi Rolim, a juíza Mariana Moreira Tangari Baptista, da 6ª Vara Cível, acabou dando um 'puxão de orelhas' na administração municipal: "Nessa esteira, não se pode admitir que o município, subitamente, sem elementos técnicos precisos elabore projetos de mobilidade urbana em manifesto benefício das empresas de ônibus e prejuízo à atividade das vans".

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar