Prefeitura insistia em jogar lixo em local impróprio

 

Três meses após o fechamento de lixão clandestino no bairro Barrinha, em Paraíba do Sul, fiscais do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) voltaram ao município para mais uma operação semelhante, dessa vez em uma área próxima ao antigo matadouro da cidade. No local foi constatado que a própria Prefeitura vinha fazendo o descarte. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente já foi notificada e um inquérito policial deverá ser aberto para apurar as responsabilidades. A ação do Inea repercutiu no Poder Legislativo, onde os vereadores Mario Sergio Leal Cordeiro Tiago Martins Cardoso de Souza se manifestaram na tribuna, mas a administração municipal ainda não se pronunciou sobre o assunto.

A primeira ação do Inea em Paraíba do Sul aconteceu no dia 16 de maio, onde, em um terreno da Estrada da Barrinha foram lixo hospitalar e resíduos domésticos. De acordo com técnicos do órgão, o local não tinha licença para funcionar e o solo não é impermeabilizado.

Naquele dia três caminhões de uma empresa privada foram apreendidos e levados para a 107ª Delegacia de Polícia, onde foi feito registro de rime ambiental.

Além da Prefeitura, o Inea multou as empresas PDCA Ambiental e a Colinje foram multadas por transportarem e vazar resíduos sólidos em local inadequado sem a licença de operação para esse serviço.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar