Em nota enviada ontem ao elizeupires.com a Prefeitura de Queimados anunciou que vai pagar as parcelas devidas pela desapropriação do prédio da antiga Casa de Saúde Bom Pastor, ocorrida judicialmente em 2015. O imóvel foi desapropriado para sediar um hospital-maternidade municipal, que deveria ter entrado em funcionamento no segundo semestre do ano passado, o que não foi possível, devido ao atraso nas obras de reforma, ampliação e adaptação do imóvel, que – considerado o valor inicial do contrato e os dois termos aditivos assinados – estão custando mais de R$ 3,2 milhões. Na nota a Prefeitura informa que "90% das  obras a previsão de entrega é ainda para o primeiro semestre deste ano".

Sobre o pagamento a Prefeitura diz que está esperando só a homologação do acordo de pagamento e parcelamento feito em juízo.  Os donos do imóvel não receberam ainda nem a primeira (no valor de R$ 208.027,17), que está consignada  em juízo. "As demais serão quitadas assim que o acordo for homologado pela justiça", afirma a nota.

Segundo o prefeito Carlos Vilela, a administração municipal tem todos os todos os recursos garantidos para quitar a desapropriação, mas só vai pagar em juízo, "como foi determinado".

De acordo com a Prefeitura, "a  maternidade terá 42 leitos de internação, dois centros cirúrgicos – um para parto, outro para cirurgias eletivas –, diversas enfermarias e atende todas as normas de acessibilidade, como rampa de acesso e elevador nos três pavimentos".

A capacidade total da unidade, informa a Prefeitura, "será de 500 partos por mês e atenderá também municípios vizinhos, como Japeri, Seropedica, Paracambi e Nova Iguaçu".

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar