Com a inauguração atrasada há quase um ano e ainda em obras, o Hospital Maternidade de Queimados vem sendo alvo de polêmica desde a desapropriação do prédio – o que ocorreu há quase quatro anos e ainda não foi paga – e volta a ser notícia: o governador Wilson Witzel (foto), afirmou que a unidade terá repasse mensal do estado, que também pretende ajudar na  implantação uma UTI Neonatal. Apesar do atraso e de informar que 90% das obras estão concluídas, a Secretaria Municipal de Saúde ainda não sabe quando voltarão a nascer crianças no município.

De acordo com a Prefeitura, a maternidade terá 42 leitos de internação, dois centros cirúrgicos – um para parto, outro para cirurgias eletivas –, diversas enfermarias e atenderá todas as normas de acessibilidade, como por exemplo: rampa de acesso e elevador nos três pavimentos, operando com capacidade total de 500 partos por mês, além de fazer cirurgias eletivas como remoção de miomas, histerectomia (retirada do útero) e laqueadura com planejamento familiar.

A promessa de ajuda foi feita pelo governador ao deputado Max Lemos, mas Wilson Witzel não mencionou valores.

 

Matéria relacionada:

Crianças de Queimados continuam nascendo nas cidades vizinhas

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar