Redução é de 58% no município no acumulado deste ano

 

Os números falam por si. O roubo de veículos em Mesquita, na Baixada Fluminense, caiu 24,6% em maio, em comparação ao mesmo mês do ano passado.  A redução verificada nos primeiros quatro meses de 2019 é de 58%, quando se confronta os dados com os primeiro quadrimestre de 2018: 133 casos este ano, contra 320 registros entre janeiro e abril de 2018, o menor desde 2014. Também foram reduzidos os casos de roubos de celulares, furtos a transeuntes e roubos em transportes coletivos. O resultado positivo é creditado às ações conjuntas desenvolvidas pelo 20º Batalhão da Polícia Militar, 53ª Delegacia de Polícia e agentes da Guarda Civil do município.

De acordo com as estatísticas de delitos praticados nos meses de abril e maio deste ano, comparados com o mesmo período no ano passado, a queda mais expressiva foi a de redução de roubos de veículos. Houve retração de 69,5% e 24,6%, respectivamente, conforme dados apresentados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) e as forças conveniadas com a prefeitura de Mesquita. O furto a transeuntes caiu 55% em maio, e o roubo, 7,8%. Já o roubo de celular na região que teve aumento de 25% em abril e caiu 9% em maio. O roubo em transportes coletivos, que teve aumento de 19% em abril, despencou 42% em maio. Entretanto, o furto de veículos, que estava em queda, com -11.7% em abril, subiu 33,3% em maio – de 12 para 16 registros.

 Para o diretor de Inteligência da Guarda Municipal, Kleildo Nascimento Conceição, a redução dos índices de criminalidade em Mesquita está sendo alcançada de forma gradual, a partir da integração de dados estatísticos do portal ISP/Cidades, obtido através do convênio firmado em 11 de abril de 2018 pelo prefeito Jorge Miranda e com o Instituto de Segurança Pública (ISP).

Desde então vem sendo feito o mapeamento da mancha criminal e os dados são usados para direcionar a atuação dos guardas municipais. "Isso é feito de forma isolada pela Guarda, através de rondas ostensivas, ou de forma conjunta, em ações repressivas integradas com as forças de segurança estaduais (20º Batalhão e 53ª DP)", explica Kleildo.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar