Contrato não revela quantidade coletada nem quanto é pago por cada tonelada recolhida, mas prestadoras do serviço receberam R$ 5,6 milhões na atual administração


De acordo com o contrato 065, assinado em janeiro deste ano com a empresa Atitude Consultoria Ambiental – sucessora no município da Rio Zin Serviços – a Prefeitura de Rio Claro se compromete a pagar R$ 2,239 milhões pelos serviços de coleta de lixo, varrição, manutenção de áreas verdes e roçada em logradouros até fevereiro de 2020, mas não está claro a quantidade de resíduos recolhida nem o custo por cada tonelada de lixo tirada das ruas (confira aqui). A Atitude tem como sócio irmão do empresário João Felipo Barreto, o Joãozinho da Locanty.

De acordo com o sistema que registra as despesas da Prefeitura, a Atitude recebeu, até o dia 4 de junho, R$ 658 mil pelos serviços, e Rio Zin cerca de R$ 5 milhões na gestão. No sistema aparecem ainda pagamentos no total de R$ 3,7 milhões em favor da Rio Zin, favorecida com pelo menos três adiamentos da licitação que acabou vencida por sua sucessora. Pelo que está no sistema, a gestão do prefeito José Osmar de Almeida pagou a Rio Zin R$ 519.239,76 em 2017, R$ 3.705.367,44 em 2018 e R$ 764.896,92 este ano, um total de R$ 4.989.504,12.

Marcada inicialmente para 2017, foi remarcada para 2018 porque o edital foi impugnado por uma empresa concorrente  e sofreu outros dois adiamentos.  Em quanto o pregão não acontecia um contrato de 2013 era esticado com aditivos em favor da Rio Zin Ambiental, empresa controlada por empresários ligados ao Locanty, que passou a usar outros nomes como Própria e Rio Zin.

O espaço está aberto para qualquer manifestação

Matéria relacionada:

Empresa do grupo Locanty se beneficia com erros no edital e contrato da coleta de lixo vai sendo esticado pela Prefeitura de Rio Claro

 

Documentos relacionados:

Pagamento Atitude 2019

Pagamento Rio Zin 2019

Pagamento Rio Zin 2018

Pagamento Rio Zin 2017

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar