O prefeito Diogo Balieiro (esquerda) foi eleito prometendo o contrário do que vem fazendo desde que assumiu o governo em janeiro deste ano (Foto:Arquivo/Campanha)

Chamada de reforma administrativa, proposta do governo só beneficia os comissionados

Circular na contramão, atropelando as verdadeiras prioridades e os anseios dos servidores públicos municipais e da população em geral parece ser mesmo a escolha feita pelo prefeito de Resende, Diogo Balieiro Diniz, que uma semana depois de negar um pedido de reajuste salarial aos funcionários, alegando falta de recursos, enviou um Projeto de Lei para apreciação da Câmara, o que já está causando revolta junto à população e ao pessoal do quadro efetivo, que se encontra sem reajuste desde 2014. Caso os vereadores aprovem a proposta de Balieiro, a Prefeitura passará a ter em sua folha de pagamentos 74 agentes políticos de nível CSC com salários mensais de R$ 7.846,44 cada um. Isso é só um ponto entre várias mudanças que beneficiam diretamente os ocupantes de cargos de confiança, nomeados por livre escolha do prefeito que, por sinal, deixa bem claro ser esse um dos objetivos da proposta. "Com a referida alteração, foi possível priorizar o fortalecimento dos cargos de direção superior para o melhor controle e gerenciamento, que resultará em eficiência e eficácia nas atividades desenvolvidas pelos órgãos da administração direta e indireta", declara Diogo.

Nas edições do projeto "Prefeitura em seu Bairro" o governo tira dúvidas e explica a questão do IPTU, mas as reclamações ainda são muitas (Foto:Divulgação/PMG)

Mas Prefeitura sustenta atualização de cadastro e diz que está cumprindo a lei

O juiz Rubens Soares Sá Viana Júnior, da 2ª Vara de Guapimirim, acatou mandado de segurança impetrado por um contribuinte do município contra o aumento do IPTU que, especificamente nesse caso, em relação ao exercício de 2016, chegou a 3.500%. Em decisão liminar favorável a Maurício Ribeiro Schiavo o magistrado suspendeu a cobrança do valor cobrado, inclusive possível incidência de encargos e multas sobre o total do imposto. Maurício provou na Justiça que em 2016 pagou de R$432,57 pelo IPTU de um imóvel localizado na Rua Rufino, 40, no bairro Paiol e que este ano o carnê veio com o valor de R$15.273,12. O aumento apontado como excessivo pelos moradores tem gerado muitas reclamações. No último dia 5, por exemplo, no projeto "Prefeitura em seu Bairro", o governo montou um espaço para ouvir as queixas dos contribuintes, que estão sendo informados que o cadastro de imóveis está desatualizado e que antes não havia critério para a cobrança do tributo.

A universidade vai promover curso para professores da rede municipal

Uma parceria firmada pela Prefeitura de Rio das Ostras com a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ) vai ajudar na capacitação dos professores que atuam no Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). Foi definido que a Secretaria de Educação vai implantar um espaço virtual para o Curso de Formação Continuada e a UFRJ entrará com o conteúdo, garantindo a participação dos professores da rede municipal nos cursos semipresenciais e à distância.

O projeto foi apresentado pela secretária Carine Tavares em reunião com representantes da comunidade (Foto:Gerson Peres)

O centro de apoio vai funcionar em Mauá


Quando setembro chegar os idosos residentes na localidade de Mauá e nos bairros próximos passarão a contar com um centro de saúde voltado para eles, uma unidade de apoio que funcionará com uma equipe multiprofissional para atendimento especializado. A informação foi dada pela secretária de Saúde Carine Tavares durante encontro com os representantes da comunidade. Carine vem percorrendo o município para dialogar com os moradores e conhecer as necessidades de cada bairro. "Depois de estudarmos muito a população dessa região, chegamos a conclusão que nós temos um grande número de idosos e optamos por criar o centro de especialidade", explica a secretária.

Criando mais cargos na autarquia de água e saneamento

A enxuta estrutura da autarquia municipal Águas de Casimiro vai ficar "engordar" com a criação de novos cargos comissionados, o que é considerado desnecessário por quem conhece o funcionamento do órgão que tem vida financeira própria, independência garantida com a arrecadação dos valores cobrados pela distribuição de água potável e taxa de saneamento. De acordo com o Projeto de Lei enviado por Dames à Câmara de Vereadores, a autarquia vai funcionar como “cabide de emprego”, passando a contar com um assessor técnico, um assessor de controle interno, três diretores e um assessor operacional, além de uma função gratificada de ouvidor e cinco de chefe e setor, o que vai pesar bastante no custo operacional.