O Ministério Público Federal acusa o proprietário do hotel fazenda de represar rios (Fotos:Reprodução)

Procuradoria da República acusa proprietário de realizar, sem licença, atividades que estariam causando impactos na Reserva Biológica do Tinguá

O Ministério Público Federal (MPF), núcleo de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, ajuizou ação civil pública contra o empresário Paulo Cesar Rodrigues Faísca, dono da Fazenda Faísca Turismo Eco Rural de Tinguá, pelo funcionamento de sítio recreativo sem licença dos órgãos ambientais competentes. Segundo resultado da fiscalização, o local inadequadamente promove atividades como caminhadas, cavalgadas, arvorismo e tirolesa em área recoberta por Mata Atlântica. De acordo com o proprietário, a fazenda tem capacidade de receber até 100 pessoas, sem hospedagem, e com média de 20 visitantes por dia na alta temporada.

Carlos Augusto vai suceder Sabino pela segunda vez e vai encontrar uma "terra arrasada"

O prefeito eleito de Rio das Ostras já começou a trabalhar

“Temos muito que fazer. Vamos iniciar o ano com a cidade cheia de turistas e precisamos estar com os serviços básicos de saúde, manutenção e segurança funcionando com qualidade Para isso, temos que estar cientes dos contratos em andamento, e da real situação orçamentária do município”. A afirmação é do prefeito eleito de Rio das Ostras, Carlos Augusto Balthazar, que já escolheu a equipe de transição que será apresentada oficialmente à Prefeitura no máximo até sexta-feira. A equipe é formada de profissionais experientes que já passaram pelo governo, entre eles Rosemarie Teixeira, Renato Vasconcellos, Nelito Esterque, Luciano Macário, Evandro Minguta, Marcelo Chebor e Ivan Noé. O vereador Marcelino Borba também integra a equipe.

O prefeito Tarciso Pessoa - que será sucedido por Lucimar em Janeiro - não divulga as contas do município

Falta de transparência pode dificultar a transição

Há exatos sete anos, dez meses e treze dias no cargo, o prefeito de Paracambi, Tarciso Pessoa (PT), vai deixar o governo e levar para casa a faixa de gestor menos transparente do estado do Rio de Janeiro, pois desde que assumiu a Prefeitura - em janeiro de 2005 - vem escondendo as contas públicas, não revelando a receita e as despesas da administração municipal, o que poderá causar sérios problemas para a sua sucessora, a prefeita eleita Lucimar Cristina da Silva Ferreira (PR), que vai assumir janeiro sem conhecer os números de uma contabilidade que a gestão atual faz questão de manter em segredo.

Dennis Dauttmam resolveu entregar as ruas da cidade para uma empresa explorar vagas rotativas

No apagar das luzes prefeitura marca licitação para entregar vias públicas à uma empresa

Vai acontecer no próximo dia 31 a abertura dos envelopes da Concorrência Pública Nº 002/2016, marcada pelo prefeito Adenildo Braulino dos Santos, o Dennis Dauttmam (PC do B), para escolher a empresa que terá o direito de explorar as ruas do centro da cidade e dos bairros mais populosos com vagas de estacionamento rotativo. De acordo com o edital assinado no dia 27 de setembro pela presidente da Comissão Permanente de Licitação e Serviços, Raquel Basílio de Oliveira, a concorrência é “em atendimento as necessidades da Secretaria Municipal de Transporte que tem como objetivo a outorga de concessão de serviço público, a título oneroso, para a prestação de serviços técnicos de implantação, operação, manutenção e gerenciamento do sistema eletrônico informatizado e automatizado para controle de uso remunerado das vagas de estacionamentos rotativos em vias e logradouros públicos do município de Belford Roxo”.

Em crise, a administração municipal vem atrasando pagamento

     Um grupo de servidores do município de São João de Meriti fez uma manifestação na manhã de hoje em frente à sede do governo para protestar contra a falta de pagamento. Com exceção dos profissionais da Educação em atividade, as demais categorias vêm recebendo os salários com atraso, alguns, reclamam, de até três meses. Na semana passada foram quitados os proventos de abril, maio e junho aos aposentados e pensionistas que recebem através do Instituto de Previdência Municipal, o Meriti-Previ, depois de um bloqueio no valor de cerca de R$ 11 milhões nas contas da Prefeitura, determinado pela juíza Claudia Maria de Oliveira, da 3ª Vara Cível, mas não há ainda uma data fixada para o pagamento dos meses de julho, agosto e setembro. De acordo com a Secretaria de Fazenda, as perdas de receita vêm se acentuando a cada mês e boa parte dos valores referentes aos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) tem sido retida pelo governo federal por conta de débitos antigos do município com a União. A Prefeitura ainda não se manifestou sobre o protesto desta quinta-feira, mas o que os manifestantes ouviram é que o atraso ocorre por causa da greve dos funcionários do Banco do Brasil.