Nova Iguaçu arrecadou R$ 166 milhões em 48 dias

Há exatos 51 dias no cargo, o prefeito Rogério Lisboa (foto) ainda não deu um passo sequer em direção a reabertura das unidades de saúde que, segundo ele, estão fechadas por falta de recursos. Tem se limitado à choradeira comum aos que se deparam com problemas acima de sua capacidade de solução e até já ameaçou a fechar o Hospital da Posse. Entretanto, do dia 2 de janeiro até o final do expediente de sexta-feira (dia 17), o Fundo Municipal de Saúde havia recebido R$ 44 milhões, sendo R$ 39 milhões para financiar o atendimento de média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar, além de mais de R$ 42 milhões em repasses constitucionais, incluindo FPM e royalties do petróleo, sem contar receitas correntes acumuladas no período, pouco mais de R$ 78 milhões, o que dá uma arrecadação de R$ 166 milhões, total recebido pela Prefeitura em 48 dias.

A maior delas foi poder quitar salários atrasados e garantir pagamento em dia

O prefeito de Mesquita, Jorge Miranda (foto) apresentou um relatório parcial das ações prioritárias adotadas em janeiro, quando listou 90 desafios e definiu a data de 15 de fevereiro como limite para começar a mostrar os resultados. Com uma dívida de mais de R$ 100 milhões, estrutura “canibalizada” e servidores descontentes com dois salários não pagos e o décimo terceiro também atrasado, o município foi deixado ao Deus dará pelo prefeito Rogelson Sanches Fontoura, o Gelsinho Guerreiro, que abandonou a cidade logo depois das eleições de outubro e continua desaparecido. O principal desafio vencido, aponta Miranda, foi o de fazer o pagamento integral de todos os salários atrasados devidos aos funcionários efetivos. De acordo com o relatório, 48% das ações estão concluídas, 31% foram realizadas e 21% ainda estão pendentes.

A prefeita Lucimar Ferreira encontrou Paracambi em estado de terra arrasada. O esforço para sair do buraco exige capacidade administrativa e muito comprometimento com o trabalho

Gestão busca recursos através de emendas para vencer o desafio

Paracambi é o município da Baixada Fluminense que menos dinheiro recebe do Fundeb, uma média de R$ 1,8 milhão por mês, mas ainda assim tem um sistema de Educação mais bem avaliado que o de muitas cidades com mais recursos. Manter o ritmo e buscar um crescimento ainda maior nos índices de avaliação fazem parte dos planos da nova gestão, que luta por recursos através de emendas parlamentares para suprir às necessidades, já que dispõe do menor orçamento da região. Apesar das dificuldades - uma dívida apurada de cerca de R$ 64 milhões e pelo menos outros R$ 36 milhões em débitos trabalhistas, previdenciários e precatórios -, a prefeita Lucimar Ferreira sabe muito bem onde chegar: fazer uma administração que coloque o município no caminho do desenvolvimento e deixar para o seu sucessor uma estrutura bem melhor, uma casa arrumada, uma população satisfeita e as contas pagas. “Quando assumimos encontramos, além das dívidas, falta de medicamentos e materiais de consumo. Tivemos de contar com a boa vontade de fornecedores ainda com contratos vigentes para por as unidades médicas para funcionar. Temos uma missão árdua pela frente, mas podemos assegurar que as dívidas não vão parar Paracambi”, diz o secretário de Governo Flávio Ferreira.

A unidade de conservação reúne réplicas de ecossistemas da Mata Atlântica

Nem só de praias consistem os atrativos de Rio das Ostras. O município da Região dos Lagos fluminense conta com um espaço especial de preservação ambiental, lazer e contemplação. É o Parque dos Pássaros, uma unidade de conservação aberta para que moradores e turistas possam observar espécies animais e a vegetação característica da restinga, ao percorrer suas trilhas ecológicas. O parque tem um dos maiores viveiros do Brasil, com 48 mil m³, incluindo réplicas de ecossistemas do Bioma da Mata Atlântica, foram preparadas para abrigarem aves ameaçadas de extinção.

São professores e auxiliares de desenvolvimento escolhidos em processo seletivo

A Prefeitura de Rio das Ostras divulgou na manhã desta quarta-feira uma lista com os 263 profissionais de ensino escolhidos em processo seletivo para começarem a trabalhar no dia 6 de março. Os escolhidos devem comparecer à Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Rua Guanabara, 3603, bairro Extensão do Bosque) a amanhã e sexta-feira, de acordo com o cargo, entre 8 e 17 horas, para apresentação de documentos e assinatura de contrato de trabalho. Na relação dos aprovados constam a documentação necessária e o dia da apresentação. Estão sendo chamados 193 professores - 36 de Língua Portuguesa, 38 de Matemática, 21 de História, 26 de Geografia, 25 de Ciências, 8 de Educação Física, 19 de Arte e 20 de Língua Inglesa - além de 70 auxiliares de Desenvolvimento Infantil. A contratação temporária vai se estender até o dia 31 de dezembro de 2017 e está ocorrendo porque o concurso público realizado em 2012 está sub judice. Para conferir a lista basta clicar sobre a palavra em vermelho.