Alair Correa está perdido entre dívidas com fornecedores e salários atrasados (Foto:Divulgação/PMCF)

Tem servidor que não recebe desde abril

Sem presente e sem futuro. Essa é a realidade de milhares de servidores da Prefeitura de Cabo Frio, que não vem honrando seus compromissos desde o segundo semestre do ano passado, quando o prefeito Alair Correa começou a atrasar faturas cobradas pelos prestadores de serviços e fornecedores. Tem servidor que não recebeu a segunda parcela do décimo salário de 2015 e professores temporários que ainda não viram a cor do vencimento de abril. A quem reclama Ala ir responde que a crise deixou o município na pior e que precisa de um empréstimo de R$ 200 milhões, recurso que pretende conseguir com a antecipação de créditos futuros dos royalties do petróleo. O que o prefeito espera antecipar equivale ao que município perdeu de receita no ano passado em comparação aos valores recebidos em 2013 em repasses constitucionais.

Médico do município, Eduardo Cardoso (esquerda), presidente a Câmara de Vereadores (Foto:Divulgação/CMM)

Justificativa é garantir direito dos aposentados, mas ativos também poderão ser beneficiados

A decisão do Tribunal de Justiça de manter a suspensão do pagamento de elevados salários a servidores ativos e inativos do município de Macaé, um grupo que foi privilegiado com duas leis complementares aprovadas na gestão do prefeito Riverton Mussi e gerou contracheques de até R$ 66 mil, está sendo combatida pela procuradoria da Câmara de Vereadores, Casa de Leis comandada pelo médico Eduardo Cardoso Gonçalves da Silva, médico socorrista que até a suspensão do pagamento das incorporações tinha salário de mais de R$ 43 mil. A alegação é de que os servidores aposentados atingidos pela decisão do TJ precisam ter seus direitos restabelecidos, mas o embargo de declaração pretendido pode acabar beneficiando os funcionários em atividade, derrubando o teto de R$ 17 mil fixado pelo prefeito Aluizio dos Santos Júnior para os salários da administração municipal.

A Prefeitura já comprometeu cerca de R$ 7 milhões com a compra de peças e pneus, mas mantem um monte de sucadas em sua garagem (Fotos: Ivan Teixeira)

Garagem da Prefeitura mais parece um depósito de ferro velho

Entre janeiro de 2013 e junho deste ano a Prefeitura de Silva Jardim gastou R$ 2,7 milhões comprando peças e pneus para os veículos da municipalidade e realizou, em setembro do ano passado, uma licitação estimada em mais de R$ 4 milhões para a mesma finalidade. Entretanto, basta uma visita na garagem municipal para constatar a falta de cuidados com o patrimônio público municipal. O galpão está mais para um depósito de sucatas do que para uma garagem propriamente dita, o que leva os contribuintes mais atentos a perguntarem onde estão sendo aproveitadas as autopeças adquiridas pela municipalidade nos últimos três anos.

Rui Aguiar chegou este ano em Guapimirim, mas já é um dos "prefeitos" da cidade (Foto:Divulgação/PMG)

Assinando por três pastas, titular da Educação quer agora mandar também da Secretaria de Obras, instalando lá seu homem de confiança que cuida da reforma das escolas

Não será surpresa se Fábio Rangel Macieira, o Fabinho, reassumir a Secretaria de Obras e Serviços Públicos de Guapimirim nos próximos dias. É que o novo “dono” do poder no município, o secretário de Educação Rui Aguiar, que comanda atualmente três pastas, segundo informou agora a pouco uma fonte ligada ao gabinete do prefeito Marcos Aurélio Dias, estaria querendo Fábio no comando da secretaria que é a menina dos olhos de outro “dono” do governo, o ex-vereador Marlon Vivas.

 Rafael Jardim prometeu que iria devassar a gestão de Eliezer Crispim à frente da autarquia de água e esgoto. Não fez nada até hoje

Vereador prometeu que requerimentos seriam aprovados depois do carnaval. Chegaram as festas juninas e ele ainda não apresentou um pedido sequer

“Uma verdadeira operação pente fino nos contratados firmados nos últimos dois anos pela autarquia Águas de Casimiro (antigo Serviço Autônomo de Água e Esgoto - Saae) para prestação de serviços de manutenção e realização de obras”. Foi o que prometeu no dia 2 de fevereiro o vereador Rafael Jardim, mas já se passaram quatro meses e 23 dias e nenhum requerimento neste sentido foi apresentado ainda. Pelo que se comenta nos bastidores do Poder Legislativo, a devassa nas contas do ex-Saae não aconteceu nem vai acontecer por conta da relação estreita de vereadores com o empresário Alexanderson Miranda - o Alê, que controla a empresa Onix Serviços, que tem o melhor contrato de prestação de serviços com a autarquia - e por “respeito” ao vereador Elizer Crispim, ex-presidente da Águas de Casimiro. Um deles, por exemplo, Adair Abreu de Souza, o Kinha, é visto com freqüência em frente à espera de Alê em frente a casa do empresário, em Silva Jardim, em visitas que se repetem pelo menos uma vez por mês.