Desembargador entendeu que participação de Adriano Serfiotis foi de menor gravidade

 

O desembargador Marcus Bazílio, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, concedeu habeas corpus a Adriano Serfiotis, preso no dia 20 de junho sob a acusação de ter participado de uma tentativa de extorsão contra o prefeito de Porto Real, Ailton Marques. O magistrado mandou soltar Adriano, que tem prazo de cinco dias – a contar de sua saída da prisão – para entregar o passaporte ao juízo da Vara Única da cidade e comunicar o endereço onde poderá ser encontrado. O magistrado acatou o argumento da defesa de que Adriano somente entrou em contato com o prefeito para esse fosse em sua residência, onde Ailton foi ameaçado o prefeito para que pagasse uma dívida de campanha no valor de R$ 2 milhões, que teria sido contraída pelo ex-prefeito Jorge Serfiotis, pai de Adriano.

David Brasil foi secretário de Defesa Civil em Queimados, onde cumpre mandato de vereador

 

Um ano após ter sido alvo de uma operação de busca e apreensão por parte do Ministério Público, o vereador David Brasil Caetano foi preso na manhã desta quinta-feira. Ele é suspeito de comandar um milícia no município de Queimados, que teria ligação com o tráfico de drogas. O político é apontado pelo MP como o responsável pela distribuição clandestina de sinal de TV a cabo em condomínios do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, e o grupo dele está sendo investigado também por homicídios, extorsões e roubos. Além de David, foram presos até agora maios oito suspeitos.

Em decisão tomada nesta quarta-feira (17), o desembargador Fernando Cerqueira Chagas, da 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, manteve sentença do juízo da 5ª Vara Cível de Duque de Caxias, assegurando aos candidatos aprovados para funções administrativas no concurso público realizado em 2015 pela Prefeitura daquele município para o setor de Educação. Com a decisão o prefeito Washington Reis (foto), vai ter de substituir os nomeados e contratados que estiverem ocupando as vagas que, por direito, são dos aprovados no certame.

A noite da última segunda-feira (15) foi de mais um balde de água fria para a ampla maioria dos já congelados servidores da Prefeitura de Resende com a aprovação, em regime de urgência especial na Câmara, do projeto de lei 020/2019 assinado pelo prefeito Diogo Balieiro Diniz. Isso porque, entre boa parte dos concursados, chegou a circular a informação de que Balieiro concederia um abono salarial para a categoria. A alegria durou pouco, já que o teor do projeto aprovado pela maioria dos vereadores diz respeito à concessão de uma gratificação conhecida como Jeton, somente aos membros da Comissão Permanente de Julgamento das Licitações (CPJL) e equipe de apoio ao pregoeiro.

Precisou uma representação ao Tribunal de Contas do Estado para que a Prefeitura de Japeri divulgasse o resultado de uma licitação aberta a pedido do secretário de Governo Governo Rodrigo de Mello Marques para contratação de estrutura para eventos, palco, som e iluminação, fora cachês de artistas, com valor global de R$ 1,7 milhão. Os dados – sem o contrato – apareceram na noite de ontem (16) no sistema, mais de 15 dias depois da festa comemorativa do aniversário da cidade mais pobre da Baixada Fluminense, e mostram um detalhe curioso: o trâmite se deu em um único dia e na mesma hora, tempo recorde para uma administração que até hoje não conseguiu normalizar o fornecimento de merenda escolar.