Ex-gestor ficou fora da cidade, mas não deixou de pagar a um grupo seleto de empresas

Tateando no escuro em um labirinto de problemas, o novo prefeito de Mesquita ainda não sabe as quantas andam as finanças do município, que nos dois últimos meses recebeu cerca R$ 26 milhões em repasses do Fundeb e do Fundo de Participação dos Municípios. Só no dia 30 de dezembro, por exemplo, entrou o total de R$ 3.615.664,49, uma parcela extra do FPM por conta da distribuição do valor arrecadado pela União com as multas sobre o total arrecadado com o programa de repatriação do dinheiro depositado no exterior por grandes investidores. Nesta terça-feira (3), até as 11h tinham entrado mais R$ 306.337,14 nas contas da Prefeitura. O prefeito Jorge Miranda (foto) havia dito ontem que desconhecia a situação financeira porque não tinha tido acesso aos dados da Secretaria de Fazenda por falta de internet.

Desaparecido da cidade desde a derrota nas urnas, o ex-prefeito Rogelson Sanches Fontoura, o Gelsinho Guerreiro passou a despachar em local desconhecido nos dois últimos meses de sua gestão e optou por pagar alguns fornecedores com os quais supostamente teria ligações. Os pagamentos foram feitos com recursos que poderiam ter sido usados na quitação dos vencimentos dos servidores, que até agora a pouco não tiveram nenhum posicionamento por parte de Miranda, que se limitou a dizer que não sabe quando vai pagar aos funcionários.

Share

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar