Ex-prefeito deixou o cargo e suposta fraude em pagamento de pessoal ficou esquecida

Considerado o pior gestor da história de Guapimirim, Marcos Aurélio Dias deixou o cargo de prefeito no dia 31 de dezembro sem explicar porque o município, em sua administração, pagava até quatro vezes mais caro por servidores terceirizados, a razão de ter deixado alguns secretários mandarem mais do que ele e o fato de nunca ter tentado esclarecer ou tocado num assunto que correu solto nos corredores da Prefeitura nos dois primeiros anos de seu governo: uma suposta diferença de R$ 400 mil na folha. Este caso teria sido abafado e o possível responsável "aconselhado" a se demitir com a promessa de que receberia uma “indenização” de R$ 150 mil, que teria sido paga em seis parcelas de R$ 25 mil por um amigo do governo. Se o tempo de Marcos Aurélio no poder já passou, as tempestades não. A julgar pelo volume de documentos armazenados por pessoas descontentes, o futuro do ex-prefeito está sujeito a raios, relâmpagos e trovoadas.

Marcos Aurélio herdou sua passagem pela Prefeitura do ex-prefeito Junior do Posto em setembro de 2012 e com ela um contrato firmado um ano antes com a Casa Espírita Tesloo, no valor inicial de R$ 34 milhões. O objeto era o fornecimento de mão de obra para vários setores da administração direta e o contrato foi sucessivamente renovado até o Ministério Público entrar na história e acabar com a milionária farra da terceirização de trabalhadores. Marcos Aurélio foi eleito em outubro de 2012, quando derrotou o atual prefeito com uma ínfima diferença de votos. Achou que podia fazer as coisas a seu jeito e até tentou acertar, mas, sem pulso, acabou dominado por alguns secretários e o resultado é que ele chegou a ser afastado por decisão judicial. Voltou, mas não se emendou, pois continuou a ser governado, em vez de governar.

De janeiro de 2013 a julho de 2015 passaram pela Secretaria de Governo (a principal em atuação para garantir a governabilidade) três titulares e todos externavam mais poder que o próprio prefeito. No segundo semestre daquele ano um grupo bem intencionado ainda tentou blindar Marcos Aurélio, principalmente quanto aos com os gastos nas áreas de Educação e Saúde - setores que têm recursos certos, com as maiores dotações orçamentárias da administração municipal -, mas foi vencido.

Sobre a terceirização de pessoal, a Tesloo mudou de nome. Passou a chamar-se Obra Social São João Batista, que teve o contrato vencido em janeiro de 2015 e para manter o funcionamento das unidades foi marcada uma nova licitação. Aí veio o MP e babou tudo. Uma investigação apontou que os valores verificados estavam superfaturados e por conta disto o Edital nº 13/2015 - lançado com a finalidade de contratar "empresa especializada para prestação de serviços de naturezas diversas com o objetivo de atender necessidades da administração pública e ao interesse público” - foi suspenso por decisão judicial liminar a partir de uma ação proposta pelo núcleo de Magé da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva.

O Ministério Público apontou irregularidades e valores unitários superfaturados em até quatro vezes os salários pagos pelo município a servidores efetivos nas mesmas funções. Só no caso das copeiras, por exemplo - com salário de cerca de R$ 900 à época - no edital estipulava que a empresa, cooperativa ou organização que vencesse a licitação receberia mensalmente R$ 4 mil por cada uma contratada para a função. O MP apontou ainda que a Prefeitura de Guapimirim pagaria R$ 4.776,96 por um jardineiro, R$ 5.084 a um pedreiro e um técnico em edificações receberia R$ 5.552, profissionais que, não receberiam, na verdade nem R$ 2 mil mensais.

Comentários  

0 #1 Vivi 05-01-2017 19:49
Pior Elizeu e q agora recebemos em duas parcelas e não recebemos o reajuste de 2016 que foi votado mas nunca pago!
Citar
0 #2 juliana Silva 05-01-2017 20:58
O atual prefeito deveria correr atrás do prejuízo antes que seja tarde...e torcer para que o mesmo não ocorra nos próximos anos.
Infelizmente gente mal intencionada há em todos os lugares, e nesta nova gestão, se não houver prevenção, novos sanguessugas aparecerão.
Citar
0 #3 Dá cá o meu 06-01-2017 14:11
Não pagaram os concursados.
Citar
0 #4 Vivi 06-01-2017 22:10
Citando Dá cá o meu:
Não pagaram os concursados.

Eles ficaram o dia inteiro falando q o pagando cairia hj nas contas dos servidores. Tudo mentira!!! Após as 16h começaram a dizer q temos q aguardar ! Vergonhoso!
Citar
0 #5 Dá cá o meu 07-01-2017 08:09
Citando Vivi:
Citando Dá cá o meu:
Não pagaram os concursados.

Eles ficaram o dia inteiro falando q o pagando cairia hj nas contas dos servidores. Tudo mentira!!! Após as 16h começaram a dizer q temos q aguardar ! Vergonhoso!

A nova gestão tem que se pronunciar e mostrar como pegaram os cofres do município, pois teríamos que ter recebido no dia 30 como os contratados e comissionados. A princípio, só os concursados não foram pagos.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar