Washington Reis acena com bondade aos evangélicos e com maldade aos servidores

O "pacote de maldades", enviado à Câmara de Vereadores pelo prefeito Washington Reis (foto), deverá ser votado em sessão extraordinária nesta sexta-feira e sua aprovação pode resultar em perda salarial de até 50%, principalmente para os servidores da Educação ação, de acordo com avaliação do sindicato da categoria. O prefeito diz que o pacote é de “austeridade” e que precisa fazer isso para equilibrar as contas. Entretanto, ao mesmo tempo em que aperta o cinto em relação ao funcionalismo, o evangélico Reis afrouxa com os templos religiosos, que terão suas dividas com IPTU perdoadas e ficarão livre do pagamento desse imposto daqui para frente.

Conforme o elizeupires.com noticiou ontem (3), o Projeto de Lei 14/2017 que altera dispositivos de leis anteriores que garantem benefícios aos servidores municipais  tem vários pontos questionados pela categoria, entre eles  a progressão funcional passará a ser feita com contagem de tempo a cada cinco anos em vez de três, com percentual cumulativo de 6% entre os níveis incidentes, além da suspensão do pagamento de auxilio transporte aos servidores em férias, que faltem ao trabalho e os que recebem salário superior a R$ 2.074,70.

Também não agrada aos servidores a proposta que eleva a contribuição previdenciária para 14% e o corte de benefícios aos funcionários que estiverem usufruindo de qualquer tipo de licença.

 

Matéria relacionada:

Câmara de Caxias vai votar 'pacote de maldades'

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar