Neilton Mulim foi nomeado em fevereiro para presidir a Fundação Instituto da Pesca do Estado do Rio de Janeiro

A prisão aconteceu em Maricá e Mulim foi levado para a 82ª DP 

Investigado por suposta fraude em um processo de licitação que gerou gastos de mais de R$ 40 milhões em três anos, o ex-prefeito de São Gonçalo, Neilton Mulim (foto), foi preso no inicio da manhã desta quinta-feira (10), no município de Maricá, na Região dos Lagos. A prisão foi decretada pela juíza Myriam Therezinha Simen Rangel Cury, da 5ª Vara Criminal, em processo que apura denúncia de irregularidades na contratação da empresa Compillar Entretenimento Prestadora de Serviços para fazer a gestão informatizada da iluminação pública da cidade que foi governada por Mulim de janeiro de 2013 e dezembro de 2016. Com valor inicial de R$ 15,5 milhões, o contrato foi renovado por mais dois anos consecutivos.

O ex-prefeito foi preso na operação "Apagão", realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público e leva e levado para a 82ª DP (Maricá). Também foram cumpridos outros dez mandatos de prisão e os agentes continuam nas ruas para cumprirem 26 mandados de busca e apreensão em residências e escritórios dos denunciados.

Irmão do deputado estadual  Nivaldo Mulim (PR), Neilton foi nomeado em fevereiro ano para presidir a Fundação Instituto da Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj), com um salário de R$ 13,7 mil.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar