O prefeito Wagner dos Santos Carneiro mandou para o TCE um edital de licitação cheio de erros, o que já está sendo visto como "malandragem" dos gestores públicos para poderem estender os contratos emergenciais

Contrato para coleta de lixo foi renovado sem licitação. Edital tinha 29 erros e foi rejeitado pelo TCE

Vinte e nove erros no edital levaram o Tribunal de Contas do Estado a suspender a concorrência pública marcada pela Prefeitura de Belford Roxo para escolher uma empresa de coleta de lixo, serviço que desde janeiro vem sendo prestado a partir de um contrato precário. Com isto a empresa Força Ambiental, que está no mercado há pouco mais de três anos, ganhou mais uma emergencial, a sexta em nove meses, pois vem operando deste modo em pelo menos mais dois municípios (Queimados e Petrópolis) com contratos sem licitação que somam mais de R$ 50 milhões. Como os editais errados parecem ter virado regra para que - uma vez rejeitados pela Corte de Contas - as prefeituras possam firmar contratos alegando urgência, o TCE já alertou aos prefeitos para o que classifica de "emergências fabricadas" e promete pegar pesado contra os insistentes, que além dos "editais malandreados", costumam não fazer as correções determinadas pelo tribunal.

O primeiro contrato sem licitação da Força Ambiental em Belford Roxo foi feito em janeiro, com prazo de 180 dias e valor global de R$ 13.909.575,78. O compromisso venceu em junho e foi renovado por mais 90 dias pelo total de R$ 6.954.787,89. O valor estimado na concorrência suspensa é R$ 39.936.526,92 e terá que ser baixado, pois entre as exigências feitas pelo Tribunal de Contas para a correção dos erros estão vários itens que podem contribuir pela redução dos custos na prestação do serviço.

O edital de Belford Roxo foi reprovado pelo TCE no dia 11 de julho, na mesma sessão em que foi analisado e rejeitado o edital do município de Petrópolis, onde a Força Ambiental teve o contrato - também sem licitação -, com valor global de cerca de R$ 12 milhões assinado em janeiro renovado por conta da reprovação do edital, no qual foram encontrados 36 erros.

Irregularidades no edital também beneficiaram a Forma Ambiental em Queimados, município onde a empresa vem operando desde o final do ano passado, com um contrato emergencial de seis meses no valor de R$ 8.779.002,00. A empresa vai ficar mais um tempo trabalhando por lá sem licitação na cidade porque a concorrência que aconteceria no dia 20 de junho foi cancelada.

No caso de Belford Roxo o conselheiro substituto Marcelo Verdini Maia, ao proferir o voto pela rejeição do edital fez o seguinte alerta: "eventual revogação do certame com sucessiva contratação emergencial poderá vir a ser considerada emergência fabricada, com a penalização dos responsáveis".

 

Documento relacionado:

Decisão do Tribunal de Contas

 

Matérias relacionadas:

Roxo faz mais um contrato sem licitação para o lixo

Petrópolis também 'prepara' edital para não licitar coleta de lixo

Tribunal de Contas aponta 'malandragem' na fabricação de emergências para contratação de empresas de coleta de lixo sem licitação

Queimados prepara licitação para não acontecer

 

Comentários  

+1 #1 Moderador 25-08-2017 10:49
Em resposta a oito mensagens fora do assunto -
A matéria fala sobre o contrato emergencial do lixo e nada tem a ver com servidores e salários. O elizeupires.com não veicula comentários fora do contexto, pois isso em nada contribui para o debate.
Citar
+1 #2 Observador 25-08-2017 10:49
Aqui em Belford Roxo o prefeito faz o que quer e ponto final.
Citar
+1 #3 Guilherme 25-08-2017 10:54
O coroné Vaguinho atropela as leis e não está nem ai para o Tribunal de Contas.
Citar
+2 #4 JC 25-08-2017 10:59
Citando Observador:
Aqui em Belford Roxo o prefeito faz o que quer e ponto final.


Com a Câmara de Vereadores que temos o prefeito realmente pode fazer o que bem entender.
Citar
+1 #5 Vera 25-08-2017 12:00
Citando Moderador:
Em resposta a oito mensagens fora do assunto -
A matéria fala sobre o contrato emergencial do lixo e nada tem a ver com servidores e salários. O elizeupires.com não veicula comentários fora do contexto, pois isso em nada contribui para o debate.


O problema é que o servidor se acha o centro do universo. Tudo no município pode estar ruim, mas se a coisa estiver boa para o lado dele dane-se o resto. Esse contrato é uma imoralidade e o serviço prestado, desculpem o trocadilho, é um lixo.
Citar
-1 #6 Luiz Carlos 25-08-2017 12:13
E como teve emergência nesse governo.
Citar
+1 #7 claudio 25-08-2017 15:32
Se o centro do universo for em Belford Roxo estamos ferrados..
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar