E o Ministério Público quer que valores sejam devolvidos aos cofres públicos

Cumprindo o terceiro mandato de vereador em Itaguaí, Roberto Lúcio Guimarães, o "Robertinho" (foto), foi denunciado ontem à Justiça pelo Ministério Público, através da Subprocuradoria-Geral de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos, por contratar, segundo relata o MP na ação, uma funcionária "fantasma" para o seu gabinete.  Ele é acusado do crime de peculato e poderá - se for condenado - ser obrigado a devolver aos cofres da municipalidade o que a "assessora" recebeu como salário durante o período em que esteve nomeada.

De acordo com o que foi apurado pelo Ministério Público, Luiza Martins Noronha Barbosa foi indicada pelo vereador supostamente exercer a função de assessora em seu gabinete, mas ela nunca teria trabalhado na Câmara ou em qualquer órgão público, mas sim como empregada doméstica na residência do vereador.

O Ministério Público apurou ainda que a "assessora" esteve nomeada durante um ano e meio e que o salário pago pela Câmara nunca teriam sido entregue a ela.

O dano aos cofres públicos estimado pelo MP é de cerca de R$ 62 mil.

 

Matérias relacionadas:

Itaguaí: volta de "fantasmas" teria sido para barrar CPI

Câmara de Itaguaí vai ter que mostrar suas contas

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar