O prefeito Rogério Lisboa teve pressa para fomentar a indústria da multa em Nova Iguaçu: contratou emergencialmente uma empresa para rebocar veículos e administrar o depósito público, com a contratada ficando com 90% da receita

Polícia Militar só pode fiscalizar validade do certificado veicular

A apreensão de veículos por conta do atraso no pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) nunca teve respaldo legal, mas nos últimos anos vem fazendo a festa da indústria da multa e do reboque, principalmente das empresas contratadas pelo poder público para administrar os depósitos e recolher carros nas ruas, um negócio lucrativo que não é fiscalizado como deveria e rende alguns milhões de reais. A farra agora acabou, pois o Detran será obrigado a fazer a vistoria e liberar o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), mesmo sem o imposto pago, pois a Assembleia Legislativa aprovou uma lei estabelecendo que a inadimplência não pode impedir que os proprietários de veículos obtenham o certificado. A medida, que vai contribuir para legalizar boa parte da frota no estado, vai inibir o 'Para-Pedro', aquelas operações com apenas rotineiras feitas pela Polícia Militar para pressionar o pagamento do tributo, também chamadas de 'Caça-Níqueis'.

No município de Nova Iguaçu, por exemplo, a indústria do reboque de veículos é fomentada pela própria Prefeitura, que até contratou – sem licitação – uma empresa para fazer o serviço e administrar o depósito público municipal. A Rodando Certo, que ficando com 90% do faturamento, conta sempre com o mesmo grupo de policiais militares, que parecem trabalhar sem folga, pois todos os dias acompanham as operações da Secretaria de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana. Atualmente, quem tem um veículo rebocado em Nova Iguaçu gasta em média R$ 500 para liberá-lo.

Embora a legislação nunca tivesse amparado a apreensão de veículos que estejam com o IPVA atrasado, o reboque nesses casos tem sido comum na Baixada Fluminense. Somente ontem, quando a aprovação da lei foi divulgada é que o comando da Policia Militar se posicionou de forma clara sobre o que vinha ignorando há muito tempo e anunciou o obvio: "se o motorista estiver com o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo do período em vigência não há motivo para apreensões".

 

Arquivos relacionados:

Indústria do reboque em N. Iguaçu rende mais nos fins de semana

Nova Iguaçu não revela receita com reboque de carros

Operação “Trânsito Legal” ignora sucatas da Emlurb

“Trânsito Legal” não é para todos em Nova Iguaçu

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar