Constatação é do TCE, que reprovou as contas de 2016

Se quisesse, o ex-prefeito de Belford Roxo, Adenildo Braulino dos Santos, Dennis Dauttmam, poderia ter pago o décimo terceiro dos profissionais da rede municipal de ensino e os salários de novembro e dezembro da categoria. Para se constatar isso basta conferir os números apurados pelo Tribunal de Contas do Estado referentes ao exercício de 2016: além de empenhar só 84,77% dos recursos recebidos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, Dennis gastou irregularmente R$2.001.810,00 do Fundeb, de cuja conta saiu, sem comprovação, o total de R$ 19.064.036,23.

A prestação de contas do ex-prefeito foi rejeitada pelo TCE na sessão da última terça-feira, com o plenário seguindo o voto relatora, a conselheira Marianna Montebello Willeman, que apontou dez irregularidades, entre elas déficits financeiros no montante de R$115.113.085,09, desrespeito ao limite de despesas com pessoal desde o primeiro quadrimestre de 2015 e repasses de dinheiro a Câmara de Vereadores além do permitido por lei. 

Apontado como pior prefeito da história de Belford Roxo – tomando o título do ex-prefeito Alcides Rolim – Dennis deixou de pagar os meses de novembro e dezembro aos professores, mesmo tendo os recursos garantidos pelos repasses do Fundeb. O décimo terceiro ele prometeu que pagaria entre 15 e 20 de dezembro, mudou para o dia 22, depois para 27 e até o último dia útil de seu mandato os profissionais da educação ainda tinham esperança de receber.

Há 11 meses fora do cargo, o ex-prefeito nunca mais foi visto no município, mas seus poucos aliados dizem que Dennis pretende concorrer a um mandato de deputado estadual.

 

Arquivo relacionado:

TCE reprova as contas de Araruama e Belford Roxo

 

Documento relacionado:

Decisão do Tribunal de Contas

Comentários  

+1 #1 Claudio 30-11-2017 09:27
Ai a culpa é dos professores que reclamam sem razão. São as vitimas e não os culpados. Nao são os privilegiados que reclamam sem razao. O ex vai ficar impune, o atual vai dizer que a divida não é dele, os puxa-sacos vão continuar falando que os professores só reclamam, os recursos vão continuar entrando e sumindo na mesma velocidade, os salários atrasados e os coitados dos alunos sofrendo.
Pobre Brasil que não leva a sério a educação dos seus jovens!
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar