Com razão social diferente foram firmados seis contratos este ano por mais de R$18 milhões

Com a posse de Carlo Busatto Junior em janeiro de 2005, Itaguaí tornou-se um eldorado para a Construtora Lytoranea, que passou a deter os melhores contratos na Prefeitura. O volume foi tão grande que despertou em procuradores do Ministério Público Federal a suspeita de que Charlinho – como o prefeito é mais conhecido – seria uma espécie de sócio oculto da empresa. Agora o lugar dos bons negócios para o empresário Carlos Alberto de Souza Veiga é Itaboraí, onde já foram assinados este ano seis contratos, com valor total de R$18,9 milhões. No município governado por Sadinoel Oliveira (foto) o faturamento é feito através de outra razão social, a Santa Luzia Engenharia e Construções. O principal dono do negócio aparece como sócio de 15 empresas e uma delas, a ex-maior credora do município se Itaguaí, foi citada nas investigações da Operação Lava Jato, por ter sido subcontratada pela Odebrecht e dela ter recebido R$8,7 milhões, segundo o MPF, antes de iniciar os serviços que deveriam ser executados.

Ao todo os contratos do grupo em Itaboraí somam R$ 18,9 milhões, mas nada impede que sejam aditivados, como o Contrato Nº 015/2017, firmado para os serviços de capina e varrição de ruas, no valor global de R$10.403.706,12, que pode ser prorrogado durante toda a atual gestão sem a necessidade de um novo processo licitatório.

Os demais contratos são para obras de pavimentação e drenagem em ruas dos bairros Ampliação (R$2.113.079,79), Três Pontes (R$1.590.202,13), Jardim Imperial R$2.550.561,19), Aldeia da Prata (R$1.903.566,30) e um para a sinalização viária da localidade de Várzea, ao custo de R$403.351,07, todos com pagamentos garantidos por repasses da Caixa Econômica Federal, a partir de convênios firmados entre o município e o Ministério das Cidades na gestão do antecessor de Sadinoel, Helil Cardoso. 

O volume de negócios fechados até agora está muito distante do faturamento auferido em Itaguaí, mas preocupa os controladores de empresas menores, que ficaram assustados com a chegada do grupo a Itaboraí. Entre janeiro de 2005 e dezembro de 2012 a Construtora Lytoranea venceu as principais licitações feitas pela Prefeitura de Itaguaí, inclusive para locação de carros, mas o faturamento maior veio das obras contratadas por Charlinho, algo em torno de R$300 milhões, R$83 milhões só nos dois últimos anos do segundo governo consecutivo de Busatto, que mesmo condenado a uma pena de 14 anos de prisão por fraude em licitação, corrupção passiva e associação criminosa foi eleito para um terceiro mandato em outubro do ano passado.

Os dados sobre os pagamentos feitos entre 2005 e 2010 não estão mais no sistema da Prefeitura, mas o Portal da Transparência registra que a Construtoa Lytoranea recebeu R$31.831.872,23 em 2011 e R$51.759.606,33, alem de R$2.553.270,24 em 2013, R$10.407.287,63 em 2014, R$2.055.331,88 em 2015 e R$685.167,10 no ano passado.

 

Arquivos relacionados:

Empresa alvo da Lava-Jato faturou milhões em Itaguaí

TCE não se interessou por contratos suspeitos em Itaguaí

Empresas reclamam de licitações restritas em Itaboraí

 

Documentos relacionados:

Contrato Nº 015/2017

Contrato Nº 025/2017

Contrato Nº 026/2017

Contrato Nº 027/2017

Contrato Nº 028/2017

Contrato Nº 029/2017

 

 

Comentários  

0 #1 Luciano 03-12-2017 13:53
Que bom que o Elizeu Pires está atento aos assuntos de Itaboraí. Esse faz jornalismo de verdade.
Citar
0 #2 Jorge Ivan 03-12-2017 13:57
Quem conhece o trabalho do Elizeu Pires sabe que ele vai fundo no assunto.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar