E comunidade pede substituição de comandante e mais ações do BPChoque

Na semana passada uma ação de agentes do Batalhão de Choque da Polícia Militar no bairro Castelar deixou a bandidagem no prejuízo, com seis criminosos mortos e apreensão de armas. Isso foi o bastante para levantar questionamentos sobre o trabalho desenvolvido pelo 39º BPM, batalhão local comandado pelo tenente-coronel Luís Carlos Silva Junior, que assumiu o cargo em janeiro e está indo pelo mesmo caminho de seu antecessor, o também tenente-coronel Valdecir Lima, que passou um ano na unidade e não conseguiu mostrar serviço. Moradores e comerciantes querem os homens do BPChoque mais presentes nos bairros de Belford Roxo e a substituição de Silva Júnior que, entendem, parece ter medo do confronto, o que deixa os bandidos muito a vontade para agir.

Em Belford Roxo os criminosos tomaram vários bairros, como Roseiral e Bom Pastor, mas a insegurança atinge o município por inteiro. O número de roubos de veículos triplicou nos últimos meses."Nossa cidade está ilhada pelo crime e de nada nos adianta ter um batalhão que não consegue inibir as ações. Os policiais do Choque chegaram aqui e caíram dentro. Infelizmente não vimos essa mesma disposição na tropa do 39º BPM. O ideal seria que essas ações dos policiais de fora fossem mais freqüentes", diz um comerciante que teve seu comércio roubado três vezes em menos de um ano e já perdeu um carro para a bandidagem.

Recentemente o prefeito Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, se reuniu com o secretário estadual de Segurança, general Richard Nunes e dele ouviu a promessa de que o efetivo do 39ª Batalhão da Polícia Militar será ampliado e que novas viaturas serão entregues, mas, mas isso, na visão de muitos, pouco adiantaria sem um comando com disposição para enfrentar os bandidos com o rigor necessário.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar