Faturamento é garantido por renovações de contrato sem licitação. Com quatro nomes diferentes o grupo já recebeu cerca de R$ 210 milhões da Prefeitura

Os contratos públicos, de acordo com a legislação, devem ser colocados à disposição do contribuinte nos portais de transparência dos órgãos contratantes, mas, ao que parece, o prefeito de Mangaratiba, Aarão Brito (foto) está se lixando para isso, pois não revela, por exemplo, o milionário contrato da coleta de lixo firmado em 2012 com uma empresa sucessora da Locanty Serviços – que começou a operar na cidade através da Limpacol – a Própria Ambiental, agora atuando com outro nome, Rio Zin Ambiental, por ele renovado através de termo aditivo. De aditivo em aditivo o grupo vai faturando alto, mas a íntegra do contrato 40/2012, firmado a partir do pregão 39/2012, não é revelado. Este ano, por exemplo, esperava-se por um novo processo licitatório, mas não há o menor sinal de que isso irá acontecer. Ao todo, com o mesmo CNPJ, Própria e Rio Zin já receberam mais de R$ 135 milhões dos cofres públicos de Mangaratiba. O faturamento do grupo na cidade soma quase R$ 210 milhões.

Criada pelo empresário João Alberto Felippo Barreto, a Locanty ficou queimada no mercado por conta de denúncias sobre pagamentos de propina para obtenção de contratos com o setor público, mas o grupo permanece forte, atuando em várias cidades.

A empresa começou a crescer a partir de contratos com a Prefeitura de Duque de Caxias. Em 2001 ampliou seus domínios para Belford Roxo e Magé, onde a Limpacol começou a fazer a coleta de lixo, mas Joãozinho da Locanty, como Felippo é mais conhecido, já tinha um bom faturamento em cidades do interior.

A Prefeitura de Mangaratiba registra pagamentos no total de R$ 43,5 milhões em nome da Locanty nos exercícios de 2005, 2010, 2011 e 2012. Os pagamentos em favor da Limpacol passam de R$ 31 milhões e foram feitos nos anos de 2005, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010, enquanto a Própria recebeu a soma de R$ 78 milhões em 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016. Já a Rio Zin, de janeiro de 2016 até ontem havia recebido mais de R$ 56 milhões.

 

Matérias relacionadas:

Itatiaia esconde a verdade sobre o contrato da coleta de lixo

Sucessora da Locanty já faturou R$ 127 milhões em Mangaratiba

Mangaratiba vai continuar pagando caro por coleta de lixo

Mangaratiba renova, sem licitação, contrato de R$ 21 milhões

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar