José Marcos e Bruno Lourenço tiveram habeas corpus negado nesta sexta-feira

 

Os advogados José Marcos Motta Ramos e Bruno Augusto Duarte Lourenço – presos no último dia 10 sob a acusação de participarem de um esquema montado para fraudar processos de improbidades administrativa nos quais a ex-prefeita de Magé, Nubia Cozzolino e aliados figuram como réus – vão continuar encarcerados. A defesa dos dois impetrou habeas corpus para eles responderem em liberdade o processo pelos crimes de organização criminosa falsificação de documento público, contra a fé pública  em liberdade, mas o recurso foi negado na tarde desta sexta-feira pelo desembargador João Ziraldo Maia, membro da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. No último sábado (13), desembargador Henrique de Andrade Figueira, do Plantão Judiciário do TJ negou pedido duplo (liberdade ou prisão domiciliar) feito em favor da ex-prefeita.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar