Ex-presidente da Câmara de Vereadores pega 36 anos de prisão

 

Preso desde outubro de 2017 sob a acusação de ficar com parte dos salários pagos a ocupantes de cargos comissionados e funções gratificadas na Câmara de Vereadores de Casimiro de Abreu, no interior do Estado do Rio de Janeiro, o ex-presidente da Casa, Alessandro Macabú Araújo, o Pezão, foi condenado a 36 anos e dois meses de prisão. Decisão nesse sentido foi proferida pelo juiz Rafael Azevedo Ribeiro Alves, da Vara Única da Comarca local. Também foram condenados o ex-chefe de gabinete Jairo Macabu Soares (26 anos e um mês, com a perda do cargo público), o ex-assessor- especial Wilson da Silva Oliveira Neto (quatro anos e 10 meses) e Divana Saturnino da Silva, sogra de Jairo. Ela vai prestar serviços a comunidade.

A condenação é resultado de investigação do Ministério Público, que constatou que alguns nomeados chegavam devolver até 80% do que recebiam. A sogra de Jairo, por exemplo, tinha vencimentos que variavam entre R$ 2,5 mil e R$ 5 mil, mas, denunciou o MP, ficava com R$ 500.

Pelo que está na sentença (Processo: 0002111-08.2017.8.19.0017), Pezão vai cumprir a pena na prisão, enquanto Jairo – condenado ao regime inicialmente fechado – poderá recorrer em liberdade. Wilson vai cumprir a pena em regime semiaberto, mas também poderá recorrer em liberdade.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar