Ao contrário do que a Secretaria Municipal de Saúde de Magé afirmou em nota oficial divulgada nesta quarta-feira (30) - na tentativa de desqualificar matérias veiculadas com dados sobre irregularidades verificadas pelo Tribunal de Contas da União em compras de medicamentos feitas através de adesão de atas que, segundo o TCU não teriam sido autorizadas -, o relatório de auditoria não é do ano de 2015. Foi votado no dia 20 de junho de 2018. O documento está disponível aqui. Baixem, leiam com atenção e constatem onde está a verdade, pois as adesões de atas em favor de duas empresas apontadas no relatório geraram pagamentos de cerca de R$ 11,8 milhões através dos contratos 35/2016 e 14-A/2017.

 *Matéria atualizada às 14:42 do dia 31 de janeiro de 2018

Comentários

0 #1 Jorge 30-01-2019 18:43
Será q vai sobrar dinheiro para a secretária de saúde pagar os funcionários

Comments are now closed for this entry