PM e ex-PM tiveram prisão decretada pelo juiz do 4º Tribunal do Júri

 

Cumprindo decisão do juiz substituto do 4º Tribunal do Juri, Júri Gustavo Kalil, agentes da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público prenderam na madrugada desta terça-feira (12) o sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa, de 48 anos, e o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz, de 46 anos, por envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e Anderson Gomes, motorista da parlamentar. O MP apurou que Lessa teria efetuado os disparos e Queiroz dirigido o carro usado no dia do crime, um Cobalt prata com placa clonada. As promotoras de Justiça Simone Sibilio e Leticia Emile citam que "o crime foi meticulosamente planejado três meses antes".

Na operação deflagrada para efetuar as prisões  foram cumpridos mandados de busca e apreensão para apreender documentos, telefones celulares, notebooks, computadores, armas, acessórios, munições e outros objetos.

Para a Promotoria – que está pedindo na Justiça indenização por danos morais aos familiares das vítimas e pensão em favor do filho menor do motorista da vereadora até ele completar 24 anos de idade – sustenta que Marielle "foi sumariamente executada em razão da atuação política na defesa das causas que defendia".

As prisões ocorrem dois dias antes da dupla execução completar um ano. Os crimes foram praticados na noite de 14 de março de 2018.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar