O advogado João Francisco Neto – que defende a ex-prefeita Núbia Cozzolino – impetrou habeas corpus no plantão judiciário do Tribunal de Justiça, para tentar soltar sua cliente, presa na manhã de sexta-feira (24), desta vez por manter 459 procedimentos administrativos da Prefeitura de Magé referentes aos mandatos dela, em um escritório particular. No recurso o advogado cita que Núbia "se encontra submetida a manifesto constrangimento ilegal" e fala em "abuso de poder" por parte do juízo da Vara Criminal da Magé.

"É inacreditável a situação vivenciada pela paciente, presa em sua residência no dia de ontem, pela quarta vez, numa obsessão punitiva injustificável", diz um trecho da petição, lembrando que o mesmo juízo decretou a prisão dela por três vezes, decreto derrubados por liminares concedidas pelo ministro Sebastião Reis Junior do Superior Tribunal de Justiça em novembro do ano passado.

No recurso João Francisco Neto pontuou ainda que "identifica-se contornos de crueldade na quarta prisão preventiva que veio a ser decretada ontem, com ordem ilegal da autoridade coatora para arrancar a paciente de seu lar".

A expectativa é de que Núbia Cozzolino possa ser liberada no máximo na segunda-feira, para responder o processo em liberdade, a exemplo do que já ocorre nas ações em que ela e quatro advogados são acusados de fraude processual, com adulteração de documento público.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar