Foram condenados por superfaturamento e contratos irregulares

 

Os ex-prefeitos Renato da Costa Melo Junior, o Junior do Posto e Marcos Aurélio Dias terão de ressarcir os cofres do município de Guapimirim em R$ 88 milhões. Decisão nesse sentido foi tomada pela juíza Rafaela de Freitas Baptista de Oliveira, da 2ª Vara local, em ação de improbidade administrativa movida pela 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (Núcleo Magé), que ainda os condenou a perda dos direitos políticos por oito anos. A sentença foi proferida no processo 0003226-61.2015.8.19.0073, no qual o Ministério Público apontou "desvio de dinheiro público em contratos irregulares e superfaturados", assinados pela Prefeitura com a Casa Espírita Tesloo – atual Obra Social João Batista – para terceirização de mão de obra.

De acordo com a decisão judicial, Marcos Aurélio vai ter de ressarcir os cofres da municipalidade em R$ 65.278,949, enquanto Junior do Posto terá de devolver R$ 25.874,871,65.

Casa Espírita Tesloo foi contratada inicialmente pelo prefeito Junior do Posto, que governou de janeiro de 2009 a setembro de 2012, quando foi sucedido por Marcos Aurélio, então vice-prefeito, que foi reeleito e manteve-se no cargo até 31 de dezembro de 2016, sendo responsável por seguidas renovações de contrato e pelo maior volume de pagamentos à contratada, que mudou o nome para Obra Social São João Batista.

Comentários  

+1 #1 elizabete de souza 05-07-2019 17:57
assunto interesante me interesa muito
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar