As prefeituras teriam sido vítimas de um cartel de 18 empresas em suposto esquema de fraude

 

Numa operação que reuniu o Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal (PF) e a Controladoria Geral da União (CGU-RJ) sete pessoas foram presas nesta segunda-feira, todas representantes de empresas que forneciam uniformes às prefeituras da Baixada Fluminense. O esquema, que teria desviado R$ 20 milhões, reúne 18 empresas que participaram de 80 processos licitatórios. Como o inquérito corre sob segredo de Justiça, o nome dos presos não foram revelados. Três pessoas estão foragidas.

Ministro determina exclusão de texto que liga presidente da corte a Odebrecht

 

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que os sites da revista Crusoé e O Antagonista retirem do ar reportagem e notas publicadas na semana passada sobre uma menção ao presidente da corte, Dias Toffoli, feita em um email pelo empresário e delator Marcelo Odebrecht.

Locação de caminhões e máquinas já custou  R$ 10,3 milhões

 

Quantas máquinas e caminhões pesados locados estão a serviço da Prefeitura de Mangaratiba? Ao que parece, nem a administração municipal sabe, já que não disponibiliza no Portal da Transparência nenhum dos três contratos firmados com a empresa Costa Verde Diesel, renovados em novembro do ano passado. Independente da resposta, o fato é que a empresa – que atua há vários anos junto à administração municipal – recebeu dos cofres municipais R$ 10,3 milhões deste 2017, sendo R$ 1.192.766,59 este ano, conforme revelam documentos disponíveis aqui.

Sem as respostas, 28 inquéritos não andam

 

Pelo menos 28 inquéritos abertos pelo Ministério Público para apurar supostas irregularidades na administração municipal de Macaé estão parados simplesmente porque o prefeito Aluizio dos Santos Junior, o Dr. Aluizio, e o procurador do município, Augusto Cesar D’Almeida Salgado, não respondem aos ofícios com pedidos de informações. Por conta disto o núcleo local da 2ª Promotoria de Tutela Coletiva ingressou com uma ação de improbidade administrativa com e pede o afastamento cautelar dos dois, para que as investigações não sejam obstruídas.

Com recursos próprios busca aprendizagem em New York

 

Entre a batalha diária no Hospital Geral de Nova Iguaçu, o Hospital da Posse, e a luta por mais recursos para manter a maior unidade da Baixada Fluminense em funcionamento, o diretor Joé Setello encontra um tempinho para obter mais conhecimento. Participa – com suas próprias finanças – de um congresso em New York.