Walney, Fernando Gonçalves, Ferreirinha e Drigão seriam nomes já definidos para postos de comando

E Fernando Gonçalves pode assumir a direção do Hospital da Posse

Secretário de Saúde na gestão do prefeito Lindberg Farias, período em que 39 unidades particulares entraram em colapso financeiro por falta de pagamento das faturas pelos serviços prestados através do SUS, o suplente de deputado federal pela coligação PMDB / PP / PSC / PSD / PTB em exercício de mandato, Walney Rocha, poderá retornar ao controle da pasta em janeiro, compondo a equipe de governo do prefeito Rogério Lisboa (PR). Quem também deverá ter um cargo de comando no setor de saúde é o médico e ex-deputado federal Fernando Gonçalves, indicado para a direção do Hospital Geral de Nova Iguaçu, o Hospital da Posse.

A orla da Costazul é hoje o retrato do abandono que afeta todo o município de Rio das Ostras (Fotos:Bruno Tosta)

O estado de abandono é verificado em todos os bairros do município

Do dia 1 de janeiro de 2013 até o dia 30 de setembro desde ano o município de Rio das Ostras registrou uma receita líquida consolidada de mais de R$ 2,3 bilhões, mais que o dobro do que foi arrecadado por cidades com universo populacional bem maior, mas tanto dinheiro não ajudou em nada. Os serviços básicos perderam muito em qualidade e o que se vê nas ruas, inclusive nos bairros com o IPTU mais caro, é abandono. Na rede municipal de ensino os professores sofrem com a falta de material didático e até água e papel higiênico tem faltado nas unidades. No sistema de saúde o atendimento é precário, não há médicos nem medicamentos, o que não é admissível para uma cidade que tem menos de 150 mil moradores e arrecadação acima da média, exatos R$ 2.339,060.396,46 em três anos e nove meses.

Sergio Pessanha e o filho Luis Felipe estão satisfeitos com os resultados do pastejo rotacionado (Foto: Aline Proença)

No Norte Fluminense pecuaristas afirmam que custos de produção caíram pela metade

Com o aumento das chuvas no mês de outubro, a produtividade de leite começa a subir e os custos de produção diminuem bastante. Em Dores de Macabu, maior bacia leiteira de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, o corte nas despesas é de quase 50%. Isso tende a compensar a ligeira queda no preço pago ao produtor por litro durante o verão, quando o leite chega a ser vendido por R$ 1,40 às indústrias e cooperativas. O produtor Romeu Soares, da microbacia Rio da Prata, produz 450 litros por dia. Há mais de uma semana, ele está com o equipamento de irrigação desligado, o que significa uma economia de quase R$ 500 por mês, graças ao tempo chuvoso. “A água é a riqueza do produtor. Ficamos muito animados nessa época. Este ano está chovendo mais”, conta o pecuarista, que é beneficiário do Rio Rural, programa da Secretaria estadual de Agricultura.

Solange resolveu suspender o resultado do concurso depois das denúncias de irregularidades

Resultado foi suspenso depois de denúncias de irregularidades

Marcado por denúncias de irregularidades e por um suposto vazamento de informações privilegiadas sobre questões da prova objetiva, o concurso público realizado em setembro pela Prefeitura de Rio Bonito poderá ser alvo de uma ação judicial visando a sua anulação. O resultado final foi suspenso pela prefeita Solange de Almeida depois dos protestos feitos por candidatos classificados fora do número de vagas (400) oferecidas no edital e da decisão do Ministério Público em abrir inquérito para apurar denúncias de que pessoas ligadas a membros do governo e a vereadores teriam sido beneficiadas. Entre os aprovados nos primeiros lugares estão o secretário de Administração Marco Aurélio Ferreira da Silva e a esposa dele, Claudia Helena Miguez Moraes de Britto, aprovados para as funções de fiscal de tributos e técnico em contabilidade, respectivamente.

Sem pulso: o prefeito Marcos Aurélio Dias começou mal sua gestão e está encerrando de forma pior ainda

Contratados estariam sendo pressionados a abrir mão de férias e do 13º terceiro

O barco da administração municipal de Guapimirim está afundando e só existem coletes salva-vidas apenas para os secretários e alguns assessores, privilegiados que vão encerrar a gestão sem qualquer motivo para reclamar. De acordo com uma fonte ligada à Prefeitura, um grupo seleto de colaboradores do prefeito Marcos Aurélio Dias vai receber os salários, décimo terceiro e até férias, para que os auxiliares mais chegados não fiquem com verba rescisória presa e corram risco de não serem pagos pela nova gestão, que já anunciou que vai examinar com lupa a contabilidade do município. Entretanto, revela a mesma fonte, ocupantes de cargos comissionados e contratados temporários já demitidos deverão ficar com saldo zero em suas contas. Ainda segundo a fonte, funcionários contratados estariam sendo coagidos para assinar o termo de demissão abrindo mão das férias e do décimo-terceiro. “Não estamos entendendo nada. Quem trabalhou está sendo sacrificado. O governo fala que não tem dinheiro para fechar as contas, mas abriu várias licitações a partir de setembro”, completa a fonte.