Além de parentes e condenados por improbidade, prefeito nomeou também quem contribuiu financeiramente para a sua eleição

Rosimeiri Ximenes de Paula fez uma doação de R$ 5 mil para a campanha eleitoral do prefeito de Casimiro de Abreu. A contribuição está declarada na prestação de contas da candidatura de Paulo Dames (foto), que logo depois de empossado deu um emprego e tanto ao marido dela: Nilton Francisco de Paula foi nomeado secretário de Meio Ambiente através da Portaria 008/17, publicada na edição 634 do órgão oficial do município, mesma edição que veicula a nomeação de Matheus Sardenberg para o Controle Interno. Matheus é filho de Luiz Carlos Sardenberg, que aparece na prestação de contas com uma doação de R$ 8 mil.

Tribunal de Contas vai checar número por número para ver se a turma não estão exagerando

Mesmo com perda de 40% na receita, o município de Magé, na Baixada Fluminense, está mantendo as contas em dia. O prefeito Rafael Santos de Souza, o Rafael Tubarão (foto), não atrasou um salário sequer e pagou o décimo terceiro dentro do prazo legal. Magé não fechou nenhuma unidade de atendimento médico e deu continuidade às obras iniciadas a partir de abril do ano passado, quando assumiu o governo com a saída do prefeito Nestor Vidal. Na região prefeitos que assumiram este mês trataram logo de decretar estado de calamidade financeira, um instrumento legal que os autoriza suspender contratados e pagamentos, inclusive demitir servidores. Porém, o que mais motiva a adoção da medida é a cultura de que em situação semelhante se pode fazer compras e contratos sem licitação, mas isto só é permitido em casos de calamidade pública provocada por desastres naturais. Antecipando-se a uma possível “farra”, o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro resolveu marcar em cima e desta forma os prefeitos de Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaguaí, Mesquita e Nova Iguaçu vão ter que apresentar números completos sobre a realidade financeira de seus municípios.

A Odebrecht cobrou juros demais e agora vai ter que zerar conta e pagar R$ 120 milhões ao município

Justiça manda empresa devolver R$ 120 milhões aos cofres de Rio das Ostras

Um empréstimo feito pela empresa Odebrecht Ambiental - que explora o sistema de saneamento de Rio das Ostras - acabou por favorecer o município, que vinha tendo seus cofres sangrados por ela. É que a empreiteira gigante conseguiu junto ao BNDES um financiamento e R$ 263.155.116, com taxa de juros 2,34% ao ano, mais o índice TJLP para a realização das obras feitas na cidade e cobrou do município com o qual tem um contrato de Parceria Público Privada (PPP), uma taxa de juros anual de 18,43%, mais o IPCA. Agora, acatando recurso impetrado pelo procurador geral Renato Vasconcellos, a Justiça decidiu que a Prefeitura não deve mais nada a empresa e, muito pelo contrário, é a Odebrecht que tem uma conta a acertar e terá de pagar R$ 120 milhões ao município.

Vagas de convocados em julho deverão ser preenchidas com “dobras”

A Secretaria de Educação de Nova Iguaçu não pretende dar posse tão cedo aos 319 professores concursados convocados pela Secretaria de Administração no dia 2 de julho do ano passado. Os profissionais de ensino já passaram por todo o processo de admissão - entrega de documentos e perícia médica -, faltando apenas as portarias de nomeação, pois o documento de posse está pronto desde setembro, segundo informa fontes da própria pasta. A demora preocupa os convocados, pois muitos deles pediram demissão do antigo emprego depois que foram chamados e passaram pelo exame médico que libera o aprovado para o exercício da função.

Distância entre Piabetá e Pau Grande fica mais curta

Os moradores do bairro Ilha, em Piabetá, poderão contar a partir desta quarta-feira (25) com uma nova ponte. A obra será entregue às 11h pelo prefeito Rafael Santos de Souza, o Rafael Tubarão. Com problemas desde 1998, ela foi interditada em 2015 e a licença para a sua substituição por uma construção maior só foi liberada em agosto do ano passado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Há 17 anos foram detectados danos estruturais, o que levou o então prefeito Nelson da Costa Mello, o Nelson do Posto, a limitar o tráfego a veículos de pequeno porte para evitar acidentes, mas desde então a situação piorou. Com a interdição - há mais de um ano - o trafego ficou liberado apenas para os pedestres. A nova ponte conta com faixa dupla para veículos e duas faixas de pedestres com proteção.