Salário chega a R$ 4 mil em alguns cargos

Estarão abertas a partir do dia 1º de fevereiro as inscrições para o concurso público de Silva Jardim, que está oferecendo 104 vagas imediatas, mais formação de cadastro de reserva para profissionais de nível fundamental, médio, técnico e superior. Os interessados poderão se inscrever através do site www.institutoibdo.com.br, com taxas entre R$ 42 e R$ 90. As vagas são para agente comunitário de saúde, agente de combate à endemias, agente fiscal de saúde pública, atendente de consultório dentário e auxiliar de laboratório; agente administrativo, técnico em contabilidade, agente ambiental, agente de tributos, agente fazendário, fiscal de urbanismo, guarda municipal, inspetor de aluno, professor do 1º ao 5º ano, técnico de enfermagem e de laboratório; técnico em controle interno, advogado, analista ambiental, analista tributário, fiscal de tributos, assistente social, bibliotecário, biólogo, engenheiro civil, psicopedagogo, cirurgião dentista, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo e médico para diversas áreas. Para conferir o edital basta clicar aqui.

Prefeito ignora lista de aprovados em concurso realizado em 2016

Embora o atendimento ao público na Prefeitura de Japeri só vá começar no dia 6 de março, a movimentação por lá vem sendo grande e aumentou muito ontem. É que o prefeito Carlos Moraes Costa decidiu que vai contratar servidores temporários e para isso está disposto a anular o concurso público realizado no ano passado, no qual foram oferecidas 214 vagas em cargos de nível fundamental e médio, com salários base entre R$ 880 a R$ 1.089,53. As provas foram aplicadas no início de dezembro para cerca de sete mil inscritos e o resultado final homologado, bastando apenas fazer as convocações. Os aprovados dentro do número de vagas imediatas ficaram revoltados ao tomarem conhecimento de que as funções para as quais concorreram e foram classificados poderão ser preenchidas por pessoas indicadas por vereadores da base do governo.

Prefeito selecionou alguns comissionados para pagar salário

A regra é clara. Quem trabalhou - seja ele quem for e independente da atividade ou função exercida, se de provimento efetivo ou comissionado - tem direito de receber o salário, mas parece que o prefeito de São João de Meriti, João Ferreira Neto, o Dr. João (foto), não está nem aí para o que a lei determina. Ele pulou os meses em atraso, o décimo terceiro e pagou dezembro aos servidores efetivos e a um grupo de comissionados selecionados, ignorando a maioria, que já foi avisada de que se quiser receber dois meses de atraso e mais o abono natalino terá de recorrer à Justiça. São milhares de servidores - alguns passando por dificuldades - vítimas do calote anunciado por uma gestão que se apresenta como moralizadora, mas já começou errado.  “Nós não fomos nomeados para servir ao ex-prefeito e sim ao município. Fomos nomeados de acordo com a lei, a mesma legislação que o possibilitou a ele preencher com quem achar melhorar as vagas deixadas por nós. Ninguém está reclamando de exoneração. Ela aconteceu dentro do que a lei faculta. Ilegal é não pagar o que o município nos deve”, desabafou um ex-funcionário comissionado em mensagem enviada agora a pouco ao elizeupires.com.

E a contrapartida está na cobrança de tarifa aos usuários durante 35 anos

Responsável pela implantação e operação do sistema de coleta e tratamento de esgoto em Macaé, no Norte Fluminense, a empresa Odebrecht Ambiental informou agora a pouco ao elizeupires.com, que o contrato de Parceria Público-Privada (PPP), assinado em novembro de 2012 com a Prefeitura daquele município tem prazo de 35 anos e “é uma modalidade de concessão, resguardada por ampla legislação, na qual o poder concedendo transfere para a iniciativa privada a execução de serviços públicos”. Pelo contrato, pontua, ficou responsável também pela gestão comercial dos serviços de água, com a leitura de hidrômetros, emissão de contas, ações de combate às ligações clandestinas e trocas de hidrômetros, sendo regulada, agora pela Secretaria Municipal Adjunta de Saneamento, órgão que substitui a Empresa Pública de Saneamento (Esane).

... e adivinhem quem mais dinheiro recebeu

Muitos servidores efetivos da Prefeitura de Rio das Ostras estão com férias vencidas a receber e nenhum funcionário teve o salário corrigido nos últimos três anos, mas os principais colaboradores do ex-prefeito Alcebíades Sabino dos Santos (foto) - secretários e subsecretários - não tem do que reclamar. Uma relação de pagamentos de pessoal feitos em dezembro, a qual o elizeupires.com teve acesso, mostra que o ex-prefeito gastou R$ 932.629,54 pagando subsídios, férias vencidas e proporcionais a um grupo seleto. No topo da lista, com o total de R$ 50.940,20, aparece o chefe de gabinete de Alcebíades, Aldem Vieira de Souza Junior, o mesmo que há dois anos foi condenado (junto com seu chefe) a ressarcir os cofres públicos por recebimento indevido de salários. O documento mostra que Aldem recebeu, além do subsídio e do décimo terceiro, duas férias.