Segundo o Ministério Público Rosinha Garotinho está dentro do esquema montado em favor de candidatos a vereador

Esquema montado para “compra” de votos chegaria a R$ 3.5 milhões por mês

Os cofres públicos do município de Campos podem estar sofrendo neste período eleitoral uma sangria de pelo menos R$ 3.5 milhões por mês com pagamento irregular de benefícios através do programa social Cheque Cidadão. A estimativa é do Ministério Público, que, através da Promotoria de Justiça que atua junto à 76ª Zona Eleitoral, ajuizou ação de investigação contra membros do governo - inclusive a prefeita Rosinha Garotinho (PR) - e candidatos a vereador. As investigações preliminares apontaram que o benefício vem sendo distribuído em troca de votos. Segundo o MP inscrições fraudulentas no programa são oferecidas por cabos eleitores. Cada beneficiário tem direito a R$ 200 por mês.  

Com o cartão os universitários que moram em Magé poderão usar os ônibus das linhas intermunicipais

Em vez de ônibus alugados, um Rio Card

Enquanto os municípios fluminenses comprometem boa parte dos recursos púbicos alugando ônibus a preços acima mercado para garantir o transporte dos estudantes universitários que fazem curso fora de suas cidades, Magé, cidade da Baixada Fluminense, inovou: ampliou a alternativa de transporte assegurando os alunos o direito de embarcar, nos ônibus das linhas regulares, em vez de ficarem na dependência dos veículos alugados. É o Rio Card Universitário, ao qual todos os universitários que moram em Magé terão direito.

 Desde que Aluízio assumiu o governo o município de Macaé já arrecadou mais de R$ 7.5 bilhões

Posição de Macaé em ranking nacional mostra que eficiência não é o forte de Aluizio

Os números oficiais afirmam que a cidade de Macaé, no Norte Fluminense, chamada de Capital Nacional do Petróleo, continua rica e que a crise não faz nem cócegas nas finanças do município, que de janeiro de 2013 a 31 de agosto deste ano teve uma receita consolidada de mais de R$ 7.5 milhões, muito dinheiro levando em conta que o universo populacional não chega a 250 mil moradores. Se há dinheiro está faltando competência administrativa e isso quem revela é o Ranking de Eficiência dos Municípios (REM), um estudo do jornal folha de São Paulo, feito a partir de dados coletados pelo instituto de pesquisa Datafolha em todos os 5.281 municípios brasileiros. A análise mostra que a rica cidade do interior, em termos de eficiência na gestão dos recursos públicos, perde feio até para municípios da região mais pobre do estado do Rio de Janeiro, a Baixada Fluminense.

Alessandro Pezão é acusado de ficar com parte dos salários pagos a servidores da Câmara Municipal

Limite de gasto na campanha para vereador é de pouco mais de R$45 mil

Em operação realizada nesta quarta-feira o Ministério Público apreendeu R$ 120 mil na casa do vereador Alessandro Macabu de Araújo, o Pezão, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Casimiro de Abreu. O dinheiro está declarado no registro de candidatura do vereador, mas a apreensão ocorreu porque ele é réu em uma ação civil pública proposta pela e a 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (núcleo de Macaé), na qual ele é acusado de ficar com parte dos vencimentos de ocupantes de cargos comissionados e funções gratificadas. A ação resultou no afastamento de Alessandro do cargo de presidente da Câmara e na indisponibilidade de seus bens em R$ 500 mil.

Categoria recebeu apenas um terço do salário de agosto

     Nesta quinta-feira os profissionais de ensino da rede municipal de Belford Roxo vão comunicar aos pais de alunos que a partir de sexta-feira não haverá mais aula. A categoria vai entrar em greve por tempo indeterminado até que o prefeito Dennis Dauttmam assegure a normalidade no pagamento dos salários, que estavam sendo quitados em dia até o mês de maio, mesmo assim apenas para os professores efetivos. O vencimento de julho foi pago somente no dia 17 de agosto e o de agosto foi pago hoje em parte, com os professores recebendo só um terço do valor devido. Amanhã todos estarão nas escolas nas quais estão lotados e na sexta-feira farão uma manifestação em frente ao prédio da Prefeitura para marcar o início da paralisação. No mês passado uma representação local do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação esteve com o secretário de Fazenda, Jorge Luiz Pinto da Silva e dele ouviu a promessa de que o salário de agosto não sofreria atraso.