Neilton Mulim foi preso na Operação Apagão. Anderson Alexandre e Roni Pereira podem ter sido enquadrados na extensão

Exatamente um ano, dois meses e 20 dias após a matéria Grupo preso por fraude atua em Silva Jardim com outro nome, veiculada no dia 10 de agosto de 2017, o Ministério Público, com apoio da Polícia Civil, realizou hoje (30) uma ação para prender um ex-prefeito da cidade, o atual presidente da Câmara de Vereadores e dois servidores comissionados. As prisões seriam um desdobramento da Operação Apagão, iniciada em São Gonçalo no dia 10 de agosto de 2017, quando foram presos o ex-prefeito Neilton Mulim e representantes da Compillar Entretenimento Prestadora de Serviços, empresa que chegou a vencer uma licitação em Silva Jardim, mas o contrato não foi adiante por conta da ação do MP em São Gonçalo, no caso de fraude em um contrato de R$ 15,5 milhões. A empresa teve contratos recentes com pelo menos em mais seis municípios, alguns via "dispensa de licitação por emergência", como aconteceu em Rio Bonito e Nova Friburgo.

Wanderson Gimenes Alexandre, o Anderson Alexandre, ex-prefeito de Silva Jardim e deputado estadual eleito este ano pelo Solidariedade, foi preso na manhã desta sexta-feira (30) em uma operação do Ministério Público com apoio de agentes da Polícia Civil. Também foi preso o presidente da Câmara de Vereadores, Roni Pereira da Silva, o Roni da Alexandre, que é funcionário do ex-prefeito numa rede de drogarias; Cláudio Renato Rocha da Silva, ex-assessor-chefe do então prefeito e Jorge Luiz Araújo, nomeado como membro da equipe de apoio e substituto eventual do pregoeiro da Comissão Permanente de  Licitações (CP) da Prefeitura.

Ministro do STJ derruba todos os decretos de prisão contra ela

 

Se o juízo criminal de Magé não e emitir novo decreto de prisão nas próximas horas a ex-prefeita Nubia Cozzolino – presa no Complexo Penitenciário do Gericinó desde o dia 10 de outubro, sob acusação de comandar um esquema de falsificação de documentos e assinaturas de juízes e promotores em processos respondidos por ela e aliados – será posta em liberdade amanhã (30). É que o ministro Sebastião Reis Junior, da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), voltou a emitir decisão favorável a ela nesta quinta-feira, derrubando as três prisões preventivas decretadas pelo juiz Felipe Carvalho. Núbia era para ter sido solta no último dia 22 por força de uma liminar concedida por Reis no dia 19. Entretanto o magistrado Felipe Carvalho emitiu mais dois decretos de prisão contra ela e quatro advogados que a representavam na esfera cível.

Convocação está assegurada em acordo judicial já homologado

 

Os candidatos aprovados dentro do número de vagas imediatas oferecidas no concurso público realizado pela Prefeitura de Japeri em 2016 serão convocados e empossados até o dia 30 de janeiro. Acordo neste sentido foi firmado pelo prefeito Cezar Melo (foto) no âmbito da ação civil  0004660-84.2017.0083, movida pela Defensoria Pública em favor dos inscritos no certame. O acordo foi homologado pelo juiz da 2ª Vara, Leopoldo Heitor de Andrade Mendes Junior. Melo se comprometeu tornar sem efeito um decreto emitido pelo prefeito afastado Carlos Moraes Costas, que resolveu anular o concurso e preencher as vagas com contratados temporários, a maioria de candidatos reprovados no processo seletivo de ampla concorrência.

Orçamento do município para o exercício deste ano já foi superado em R$ 14 milhões e a receita de 2017 foi maior que a arrecadação de 2016

 

Com cerca de 43 mil habitantes, o município de Casimiro de Abreu, no interior fluminense, está arrecadando atualmente bem mais do que o volume de recursos registrado em 2016, último ano do antecessor do prefeito Paulo Dames, que completa nesta quinta-feira um ano, 10 meses e 29 dias de mandato, mas ainda não mostrou a que veio. Pelo menos é disto que reclamam moradores, comerciantes e lideranças comunitárias, dando conta de que os serviços essenciais estão sendo tocados de maneira precária e se queixando de que as melhorias prometidas durante a campanha eleitoral não acontecem. Se faltam ações efetivas por parte do governo, sobram queixas. Em 2017, por exemplo, a Prefeitura arrecadou R$ 17,8 milhões além da receita registrada e o orçamento previsto para o exercício de 2018 já foi superado em R$ 14 milhões.