O pregão será nesta quinta-feira, às 15

 

Quem acessa o site oficial do município de Japeri não encontra nenhuma informação sobre compra de medicamentos para abastecer as pouquíssimas unidades de saúde locais, é como se nos últimos dois anos a Prefeitura não tivesse adquirido um comprimido sequer, mas os gastos existem. Só não é impossível exercer o controle social assegurado ao cidadão pela Lei da Transparência, pois não há uma relação de fornecedores, muito menos uma ata de registro de preços e os valores discriminados pagos pela municipalidade. Mas hoje os moradores da cidade poderão acompanhar um processo licitatório aberto pela Secretaria de Saúde. Ele tem valor global estimado em R$ 2.212.656,82 e está destinado ao fornecimento de produtos correlatos. Só de ataduras a Prefeitura estará licitando nesta quinta-feira (4) um volume equivalente a 408 quilômetros.

O prefeito de São João de Meriti, João Ferreira Neto, o Dr. João, resolveu cortar na carne para organizar as contas do município e quitar a dívida com os servidores aposentados e os pensionistas. Através de Decreto Nº 6225, ele reduziu temporariamente, em 30%, o próprio salário, dos secretários e subsecretários municipais, ocupantes de cargos comissionados e demais gestores da administração indireta, autárquica e fundacional. 

A Justiça do Rio de Janeiro proibiu o governo do estado de realizar novas contratações até o dia 25 de abril. A decisão foi porque o governo descumpriu a determinação constitucional de investir 12% da receita bruta na área da saúde.  A exceção da decisão é para que possam ser realizados novos contratos na área de saúde, saneamento, segurança, educação e áreas que permitam aumento de receita. O processo teve início com uma ação civil pública do Ministério Público Estadual, em 2016.

As contas públicas tiveram saldo negativo em fevereiro. De acordo com dados divulgados pelo Banco Central (BC), o setor público consolidado, formado pela União, os estados e municípios, registrou déficit primário de R$ 14,931 bilhões no mês passado. Em fevereiro de 2018 o resultado negativo foi maior: R$ 17,414 bilhões. O resultado primário é formado por receitas menos despesas, sem considerar os gastos com juros. Em fevereiro, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional) foi o responsável pelo saldo negativo, ao apresentar déficit primário de R$ 20,612 bilhões.

O diretor do Hospital Geral de Nova Iguaçu, o Hospital da Posse, Joé Sestello, foi comunicado agora pela manhã de que o governador Wilson Witzel não vai mais visitar a unidade nesta sexta-feira (29) e virá ao município apenas para inaugurar – ao lado do prefeito Rogério Lisboa – o Viaduto dos Imigrantes. Perde o governador uma boa oportunidade de conhecer o HGNI, hospital responsável pelo atendimento aos moradores de Nova Iguaçu e pelo menos mais 14 municípios no corredor da Rodovia Presidente Dutra.  A dívida do governo estadual com o Hospital era de R$ 50 milhões até dezembro do ano passado. O HGNI precisa de R$ 19 milhões mensais e está funcionando com menos da metade do necessário.