Portaria do Ministério da Saúde eleva repasse em mais R$ 26,5 milhões por ano

 

O Hospital Geral de Nova Iguaçu, o Hospital da Posse, passará a receber repasse total de R$ 15 milhões mensais, transferência aumentada a partir de uma portaria do Ministério da Saúde, que eleva o repasse em R$ 26.581.476,00 por ano, o equivalente a R$ 2.215.123,00 a mais ao mês. Esta é a segunda boa notícia para a rede municipal de saúde iguaçuana, que vinha bancando praticamente sozinha o HGNI, apesar de a unidade atender toda a Baixada Fluminense e a moradores de cidades no entorno da região. Em março deste ano o governo estadual elevou o seu repasse mensal em R$ 3,5 milhões, passando a colaborar com R$ 5 milhões por mês, dinheiro que está sendo usando em obras e equipamentos.

O Ministério Público fluminense divulgou no último dia 24 a íntegra de um Termo de ajustamento de Conduta (TAC), assinado no dia 4 de junho deste ano, firmado entre a 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva e a Prefeitura de Resende, que ficou obrigada a dar início a um abrigo institucional destinado ao acolhimento noturno de moradores de rua. O que aconteceu no último dia 1º de julho, uma vez que o prazo máximo era de 45 dias a partir da assinatura do documento, com a previsão de multa diária no valor de R$ 500 incidindo sobre o agente público, o prefeito Diogo Balieiro Diniz, em caso de descumprimento.

Vagas são para professores I e II,  secretário e orientadores educacional e pedagógico

 

A Secretaria de Educação de Queimados publicou os editais (confira aqui) do novo concurso para preencher vagas na rede municipal de ensino. As incrições vão até o dia 29 de agosto e podem ser feitos através do link https://www.cepuerj.uerj.br/concursos2.php?concurso=E01251&ano=2019 e custam R$ 62 e e R$ 85. Estão sendo oferecidas 64 vagas, com salário entre R$ 1.241,95 e R$2.490,48.

Custo mensal foi reduzido em R$ 513 mil

 

Ainda não foi desta vez que a Prefeitura de Mangaratiba licitou o serviço de coleta de lixo, mas o prefeito Alan Campos da Costa, o Alan Bombeiro (foto), cumpriu a promessa de tirar o contrato da limpeza urbana do grupo que há vários anos vinha operando no município, faturando alto, mas deixando a desejar e complicando a administração municipal na Justiça do Trabalho: foi firmado um novo contrato emergencial com o mesmo objeto do ultimo assinado com a empresa Rio Zim, a um custo mensal bem menor, R$ 1.460.856,28, contra os R$ 1.973.977,93 cobrados por mês pela antiga prestadora do serviço.

Os moradores de Resende podem estar pagando uma taxa de iluminação pública (CIP) superior ao necessário para o custeio do serviço. É o que indicam os números de uma planilha comparativa entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano, apresentados no ofício nº 167, do último dia 22 março, enviado pelo prefeito Diogo Balieiro Diniz à Câmara Municipal. O documento comprova que as primeiras lâmpadas de led instaladas nos postes de iluminação pública trouxeram uma redução mensal de quase R$ 39 mil, o que equivale a quase 10%. Este percentual, no entanto, deverá chegar a 40% segundo estimativa  da própria Prefeitura, fazendo com que a conta fique aproximadamente R$ 160 mil mais barata.