A visão de que Brasília é uma ilha da fantasia, onde se vive em condição muito melhor do que em outras partes do país, é uma ideia que desconsidera a maioria da população do Distrito Federal, defende o cientista político Lúcio Rennó, presidente Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). O órgão é responsável, entre outras atribuições, por estudos e análises sociais, econômicas, demográficas, além de avaliar políticas públicas para o governo do DF.

Desde o início da atual gestão que os servidores vem protestando contra o atraso no pagamento dos salários

Números são do Demonstrativo de Distribuição de Recursos do Banco do Brasil

 

As transferências constitucionais para o município de Duque de Caxias, fora os repasses destinados ao setor de saúde, vem aumentando desde janeiro do ano passado e ainda assim o prefeito Washington Reis não está conseguindo equilibrar as contas. Além dos servidores ativos e inativos, que estão praticamente com dois salários atrasados – o mês de setembro só foi pago a parte deles –, fornecedores e prestadores de serviços se queixam da falta de pagamento o que, segundo o governo, acontece por causa da crise financeira. Entretanto, o Demonstrativo de Distribuição de Recursos do Banco do Brasil mostra que os repasses de 2017 foram maiores que os do ano anterior e que os de 2018, estão se aproximando dos números do ano passado, somando até agora R$391,3 milhões, quando as transferências verificadas nos 12 meses de 2017 totalizaram R$394,7 milhões. A estimativa é que até 31 de dezembro sejam transferidos mais cerca de R$ 60 milhões.

Novo governador optou por manter o atual Comandante Geral do Corpo de Bombeiros

 

"Sem querer desmerecer a nenhum coronel da ativa, não podemos negar que a escolha do coronel Roberto Robadey para continuar à frente do Corpo de Bombeiros, anunciada pelo futuro governador Wilson Witzel faz com que nossa instituição continue muito bem representada pelos seus 33 anos de serviço, experiência administrativa e operacional, tanto na área de Defesa Civil quanto na área de atuação do CBMERJ", a declaração de um coronel da corporação, apoiada por centenas de oficiais, sugere que Witzel acertou e ecoa como resposta um grupo de descontentes que tem usado as redes sociais para protestar contra a opção anunciada. "O escolhido tem sim o nosso apoio incondicional", diz outro coronel.

Serviço de limpeza vem sendo prestado na base da emergência, empresa responsável já faturou cerca de R$ 5,6 milhões este ano e a Prefeitura não disponibiliza o contrato no Portal da Transparência


Passados exatos seis meses e 15 dias desde a veiculação da matéria Itatiaia esconde a verdade sobre o contrato da coleta de lixo, veiculada no dia 3 de maio, o segredo sobre o assunto continua no município. O prefeito Eduardo Guedes da Silva, o Dudu, chegou marcar uma licitação para agosto de 2017, mas erros no edital levaram o Tribunal de Contas do Estado a adiar o certame. Isto acabou beneficiando a responsável pela limpeza, a Rio Zin Ambiental, que continua faturando através de uma "emergência" que vem perdurando, sem que fique claro quanto está sendo pago por cada tonelada de lixo recolhido na cidade, quantos equipamentos são usados e o número de trabalhadores envolvidos, pois o contrato não está disponibilizado no Portal da Transparência como determina a lei, onde também não é encontrado aviso sobre possível  data para a concorrência.

Nada menos do que 100 milhões de pessoas no Brasil não contam com serviços de coleta e esgoto. No país, que tem uma das maiores bacias hidrográficas do mundo, 35 milhões não recebem água encanada e tratada em suas casas. Em algumas regiões, apesar de disponibilidade do serviço, o acesso regular à água chega a apenas metade da população local, como é o caso do Norte e do Nordeste. Apesar da falta de saneamento trazer consequências graves para toda a população, há grupos especialmente atingidos pelo problema: as mulheres negras, as jovens e as indígenas.  A conclusão está no estudo "O Saneamento e a Vida da Mulher Brasileira", realizado pela BRK Ambiental e pelo Instituto Trata Brasil, que investigou os efeitos da falta de saneamento no público feminino com base nos números do IBGE.