Evento vai até o dia 30 com receitas inéditas a preços entre R$ 14,90 e R$ 39,90

Massa, risoto, bolinhos e chocolate quente aromatizado. Elementos utilizados na estação mais fria estão nas receitas inéditas do Inverno Gourmet de Rio das Ostras que, até 30 de julho. O evento reúne oito restaurantes do município, com pratos a preços que cabem no orçamento da família, variando de R$ 14,90 e R$ 39,90. A proposta da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo é fortalecer a gastronomia de Rio das Ostras e contribuir para que moradores e turistas frequentem os restaurantes e bares da cidade. Promovido pelo Núcleo Gastronômico, o Festival é uma iniciativa para tentar driblar a baixa das vendas durante o inverno, no mesmo momento em que a região vive uma grave crise econômica.

O elizeupires.com esclarece que não tem vínculo com nenhum veiculo de comunicação deste município (impresso ou digital) e que não noticia via facebook. O que pode estar ocorrendo é a reprodução de conteúdo deste site, o que permitimos, desde que mantido o texto original, não sendo autorizada qualquer alteração. Não nos responsabilizamos pela inserção de informações ou de nomes em matérias copiadas de nossos arquivos e reproduzidas em rede sociais. Reiteramos que o elizeupires.com é um espaço jornalístico e que temos total responsabilidade com o que veiculamos, mas em nosso site.

Novidade no setor de food service possibilita que consumidor conheça um pouco da culinária de diversos países em um só lugar: Restaurante Rodízio Rico, que será inaugurado amanhã

É na crise que costuma aparecer aquela grande oportunidade, segundo alguns especialistas em mercado. Pensando nisso e buscando atrair mais consumidores, dois empresários do bairro Costazul, em Rio das Ostras, decidiram apostar em uma novidade no conceito de rodízios. Eles possibilitarão, a partir da próxima quinta-feira, em um único dia e lugar, que os clientes conheçam os pratos típicos, que marcam a cultura de alguns países. O investimento confirma a estimativa da Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia) de que o setor de food service tem crescido, em média, 14% ao ano.

Com investimento a partir de R$ 300 mil reais um franqueado monta uma usina e comercializa o produto para clientes públicos e corporativos. As franquias Chave-na-Mão, oferecidas já em funcionamento, chegam com faturamento e contratos assinados

Todo mundo sabe o que é uma franquia comercial, varejista ou prestadora de serviços, através da qual vendem-se roupas, calçados, perfumes, alimentos, cursos de idiomas e até serviços de faxina como franqueado. Porém, pouquíssimas pessoas conseguem citar uma franquia industrial. Isso até aparecer a Único Asfaltos, a primeira do setor no Brasil. “Somos a única franquia industrial do país e, pelo menos que produz asfalto, a única do mundo”, diz Jorge Coelho, fundador e franqueador, que conseguiu um feito até então inédito. Ele 'compactou' uma usina produtora de asfalto, tornando seu investimento e sua operação mais fáceis e acessíveis. “Primeiro, eu criei um produto ímpar para o mercado brasileiro. Depois, foi a vez de criar a Cayman, usina que é dez vezes menor que uma usina tradicional, pode ser operada por apenas duas pessoas (a tradicional precisa de 40 funcionários) e cabe num galpão. Meu franqueado é um industrial do ramo de asfalto”, diz.