Governador do Rio, segundo o MPF, teria recebido R$ 39 milhões entre 2007 e 2015

 

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, foi preso por agentes da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (29) no Palácio Laranjeiras. Ele é o alvo principal da Operação Boca de Lobo, no âmbito da Lava Jato. Além da prisão do governador, de um sobrinho dele e de empresários, foram expedidos mandados de busca e apreensão em endereços do Rio, Pirai, Volta Redonda, Niterói e Juiz de Fora (MG). Segundo o Ministério Público Federal, o governador teria recebido R$ 39 milhões em oito anos. Já o delator Carlos Miranda – operador financeiro do ex-governador Sergio Cabral – contou que Pezão recebia R$ 150 mil mensais durante o período em que foi vice-governador.

Tiveram prisões decretadas o governador e o secretário de Obras José Iran Peixoto Júnior; o secretário de Governo Affonso Henriques Monnerat (que já estava preso) e Luiz Carlos Vidal Barroso (funcionário da Secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, além de Marcelo Santos Amorim (sobrinho do governador) e dos empresários Cláudio Fernandes Vidal,  Luiz Alberto Gomes Gonçalves (donos da J.R.O Pavimentação), Luis Fernando Craveiro de Amorim e César Augusto Craveiro de Amorim (sócios na empresa High Control).

Com a prizão de Luiz Fernando Pezão o vice-governador Francisco Dorneles assume o comando do estado. A assessoria de imprensa do governo ainda não se pronunciou e o governador eleito Wilson Witzel afirmou que o trabalho da equipe de transição não será afetado.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar