E a sociedade espera que a intervenção vença a guerra contra o crime no Rio

Recentemente uma menina de 3 anos foi morta com um tiro na cabeça numa tentativa de assalto em Anchieta. Os pais também foram baleados. Não se ouviu uma palavra de protesto por parte daquela turma do PSOL, fervorosos defensores dos direitos humanos para bandidos. Hoje, com a notícia de que o presidente Michel Temer decretou intervenção federal na Segurança Pública no Rio de Janeiro, os companheiros de Marcelo Freixo – um deputado que tem vários policiais disponibilizados pelo Estado para a sua segurança pessoal – resolveram soltar a voz contra a decisão. Em minha modesta opinião a intervenção na segurança se faz necessária e era para ter sido decidida há mais tempo, gostem as vozes amestradas do PSOL ou não. Temer acertou duas vezes: primeiro ao emitir o decreto que ainda precisa ser aprovado em sessão do Congresso Nacional e depois ao escolher o general Walter Souza Braga Netto, do Comando Militar do Leste, que terá controle total sobre as polícias Civil e Militar. Bem entrosado, o general é muito bem visto pela Polícia Civil, que o tem como "um colaborador dedicado".

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar