Por Elizeu Pires

A palavra comunista vem do latim, comunis, comum, mas o homem se encarregou de deturpar isto, dando-a como nome a uma doutrina política, cujos adeptos pregam que todas as pessoas têm direitos iguais sobre tudo, ignorando a propriedade privada, com o estado tutelando tudo em favor de todos. Só que, na prática, não é bem assim. Nos países onde tal doutrina ainda impera uns são mais "iguais" que os outros quando se trata de dividir o ouro, com os líderes do sistema tendo direito a tudo e o povo a nada. Vide Cuba, por exemplo. Por lá os Castros desfilam de Mercedes e o povo em sucatas, isto os poucos que conseguiram manter sobre quatro rodas o que sobrou dos anos 50...

Cuba não é um país livre. Democracia é um termo desconhecido por lá, falar o que pensa é pecado mortal. Noticiar então, nem pensar e o cidadão comum é obrigado a sofrer nas filas para comprar alimentos racionados. O regime implantado por Fidel Castro foi inspirado na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), governada durante quase 30 anos por um louco chamado Josef Stalin, líder político paranóico que usava da violência para impor suas ideias. Stalin é um exemplo do quanto a doutrina na qual se baseava consegue ser nefasta.

O governante frio e cruel cometeu atrocidades mil. Ditador sanguinário, em nome do estado do qual – como secretário geral do Partido Comunista – era chefe maior, espalhou o terror sobre os seus governados, exterminando quem ousasse pensar diferente e justificava a matança com uma proposta de desenvolvimento, mas o que fez foi levar o povo a conhecer a fome.

Ele apoderou-se de fazendas privadas, tirou delas os camponeses e os substituiu por gente sem intimidade alguma com a terra. O resultado foi catastrófico: cinco milhões de pessoas morreram na Ucrania, cuja produção foi desviada para alimentar os soviéticos que, graças à ideia de jerico de seu líder, não cultivavam mais nada.

O comunismo foi sim uma péssima ideia e ainda é em vários países, mas classificar como comunista alguém que protesta por dias melhores, os que saem às ruas por direitos trabalhistas e salário digno, os que levantam a voz contra qualquer tipo de ameaça à democracia, é de uma imbecilidade sem tamanho.

Durante a campanha político-eleitoral inflamada pelas redes sociais, o que mais se leu foi que "fulano e beltrano são comunistas, sicrano também". Até eu, cidadão de direita, fui chamado de comunista algumas vezes. Foi ai que me dei conta do patrulhamento imbecil feito por pessoas que não sabem nem do que estão falando.

Então, que Deus nos livre dos comunistas. Dos idiotas, também.

Comentários  

+2 #1 Lorram Paiva Corrêa 03-11-2018 21:24
Quem chama todo mundo que contesta o mínimo de suas opiniões de "comunista" geralmente são aqueles que mal saíram das fraldas. É o lado inverso daqueles que chamam todo mundo de "fascista".
Citar
0 #2 André Luiz 04-11-2018 10:44
Muito boa a narrativa histórica, fidedigna aos fatos, é o mais curioso é a quantidade de pessoas que ainda apoiam essa ideologia macabra que matou muito mais que o Nazismo, mas que ainda não foi criminalizada. Vi muitos durante meu período de faculdade.rsrs.
Citar
0 #3 André Luiz 04-11-2018 10:46
A questão é que essa ideologia possui uma flexibilidade incrível gracas aos seus muitos teóricos, citando a Escola da Frankfurt. Também há ainda um grande desconhecimento por parte do grande público sobre a existência e finalidade do Foro de São Paulo, em especial a amizade nos primeiros tempos, desta organização politica coma as FARCS colombianas.
Citar
0 #4 Lorram Paiva Corrêa 04-11-2018 18:02
Citando André Luiz:
Muito boa a narrativa histórica, fidedigna aos fatos, é o mais curioso é a quantidade de pessoas que ainda apoiam essa ideologia macabra que matou muito mais que o Nazismo, mas que ainda não foi criminalizada. Vi muitos durante meu período de faculdade.rsrs.


Ao contrário do nazi-fascismo, que pregava abertamente o ódio, a repressão e a guerra, a ideologia socialista é dissimulada. Usa de eufemismos e promessas de um mundo melhor para cooptar incautos. Os jovens, então, são bastante propensos a esse tipo de manipulação, pois existe nestes uma propensão natural a questionar o sistema e o socialismo atende bem a essa demanda. O problema são políticos profissionais com esse tipo de discurso. O próprio socialismo, da Revolução Russa de 1917 até hoje, mudou seus métodos para que continuasse sendo bem quisto por setores sociais.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar